Contrato que gerou operação em Magé rende a Núbia apenas uma multa

No dia 24 de janeiro de 2008, uma quinta-feira, a cidade de Magé foi sacudida por uma grande operação do Ministério Público e agentes policiais para apreender documentos, computadores e prender empresários e membros do governo. Batizada de Operação Uniforme Fantasma, a ação não teve nenhum efeito prático até agora. Acusada pelo MP de comandar um esquema de fraude, a então prefeita, Núbia Cozzolino, por exemplo, ainda não foi julgada e ela mesma estranha essa demora e já chegou a pedir para ser julgada logo. Até a semana passada a única posição fora política, com o grande desgaste da imagem da acusada, mas essa semana saiu uma punição administrativa: condenação do TCE, determinando que ela pague uma multa de menos de R$ 7 mil pelo contrato irregular que gerou toda aquele rebuliço e representou em grande escândalo para a cidade.

Segundo o Tribunal de Contas , a ex-prefeita terá que pagar com recursos próprios multa no valor de R$ 6.368,25 “por ter celebrado de forma ilegal, em 2005, Termo de Parceria com a Associação Comunitária Vida Plena no valor de R$ 15.726.254”. Essa decisão foi a provada em sessão plenário na última terça-feira. De acordo com o TCE, “o contrato firmado por Núbia com a associação em questão tinha por objetivo a realização de projetos de consultoria e gestão junto às secretarias municipais, com vigência de 45 dias. E a quitação do valor de R$ 15.726.254 seria feita em 53 parcelas de R$ 296.721,79.

Naquela quinta-feira 19 pessoas foram presas. A pedido do Ministério Público foram expedidos 28 mandados de prisão temporária, e 60 de busca e apreensão contra suspeitos de integrar uma quadrilha que supostamente fraudava licitações e superfaturava serviços em prefeituras da região metropolitana e interior do estado. A investigação começou a partir de informação do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), que estranhou a movimentação de até R$ 1 milhão em um curto espaço de tempo por empresas de pequeno porte, como confecções, que teriam sido contratadas para fornecer uniformes escolares que nunca teriam sido entregues. Além de Magé a operação aconteceu também em Rio Bonito, Angra dos Reis, Japeri, Paraíba do Sul, Aperibé e Santo Antônio de Pádua.

Comentários:

  1. Fazendo um exercício de memória, lembraremos que Núbia, Charles e Jane tiveram seus mandatos cassados, que Renatinho nunca fez nada de decente por Magé enquanto teve cargo público e que Dinho, Nossa Senhora, Dinho Cozzolino, também nunca fez nada que prestasse a frente da nossa Câmara de Fornecedores…ops, de Vereadores.

    Imputo aos Cozzolinos que se aventuraram em nossa política, quase toda a culpa de nossas atuais mazelas e o pior, é saber que ainda tem gente com saudades deles.

    Esta multa e o valor dela são um tapa na cara de todos nós mageenses.

  2. Só para ficar bem claro, o contrato foi firmado com o valor de R$ 15.726.254,00 (quinze milhões, setecentos e vinte e seis mil e duzentos e cinquenta reais e foi celebrado para ser pago em 53 parcelas de R$ 296.721,79 (duzentos e noventa e seis mil, setecentos e vinte e um reais e setenta e nove centavos).

    Dividindo-se 53 por 12, temos um contrato com prazo de mais de 4 anos. Isso pode??????????

    Nossa justiça é uma brincadeira.

    E onde estavam os nossos digníssimos vereadores que não viram nada disso?

  3. O elizeupires.com é um espaço jornalístico e não um fake de rede social. Temos responsabilidade sobre o que veiculamos, inclusive sobre a irresponsabilidade dos que se escondem no anonimato para fazer acusações sem provas. Se há alguma denúncia sobre irregularidade semelhante a façam pelo endereço elizeupires.blog@gmail.com, para que possa ser apurada e feita uma matéria jornalística. Senão, não percam tempo tentando desviar o foco do debate, pois não veiculamos mensagens fora do assunto em pauta.

  4. A polícia cercou o prédio da Prefeitura, invadiu casas, fez um estardalhaço danado para resultar apenas em uma multa? Não pode ser. Não creio que vá ficar só nisso.

  5. Boa tarde. O assunto aqui é o resultado, até agora, da Operação Uniforme Fantasma. Enviar mensagens fora do assunto é mera tentativa de tumultuar o debate, pois o elizeupires.com não veicula comentários fora dop contexto.

Deixe uma resposta para antonio paranhos Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.