Valença paga R$ 15 mil por viagem de genro do prefeito ao litoral baiano

Secretário de Assistência Social esteve, em abril, em congresso na Costa do Sauípe. Ele foi o que mais recebeu ajuda de custos este ano e o pagamento das diárias está sendo investigado

A maioria dos moradores de Valença, cidade do interior do estado do Rio de Janeiro, talvez nunca tenha ouvido falar em Costa do Sauípe e muito menos saber tratar-se de um dos balneários mais caros do Brasil. A Costa, localizada no município de Mata de São João, na Grande Salvador, no estado da Bahia, foi o destino, em abril deste ano, do genro do prefeito Álvaro Cabral, uma viagem de três dias que custou aos contribuintes exatos R$ 15.700,00. Ele ainda recebeu mais R$ 12.500,00 por uma viagem a Cuiabá, no mesmo mês, essa feita em companhia de uma subsecretária.

Esses gastos terão de ser comprovados agora por exigência da Câmara Municipal e o prefeito, secretários, assessores e demais ocupantes de cargos de confiança que receberam ajuda de custos para atuarem fora da cidade vão ter de apresentar ao Legislativo os comprovantes das despesas pagas pela Prefeitura. É que um requerimento foi apresentado e aprovado em plenário pelo vereador Marcelo Moreira de Oliveira, que quer esclarecimentos sobre valores que considera altos. Entre janeiro e abril deste ano a Prefeitura gastou mais de R$ 80 mil com ajusta de custos, sendo que a maior parte desse dinheiro foi usada pelo secretário de Assistência Social, Marcio Vieira Martins, que em três processos recebeu o total de R$ 16.700,00 e em outro, juntamente com Fernanda dos Reis Monteiro, subsecretária de Bem Estar Social, mais R$ 12.500,00.

De acordo com a planilha de ajuda de custos paga nos primeiros quatro meses deste ano, Marcio, que é casado com a vereadora Michele Vieira Cabral, filha do prefeito, gastou (processos 05111 e 03964) R$ 15.700,00 para participar, entre 13 e 16 de abril, de um congresso de gestores de Assistência Social, realizado na Costa do Sauípe, na Bahia. Ele ainda recebeu R$ 1 mil (processo 06057) para ir de Valença ao Rio de Janeiro, nos dias 7 e 8 do mesmo mês e, ainda em abril, nos dias 28, 29 e 30 esteve com a subsecretária Fernanda dos Reis Monteiro no encontro nacional de gestores municipais de Assistência Social em Cuiabá, no estado de Mato Grosso, eventos, que a julgar pelas atuações pífias da administração nesse setor, só devem ter servido para gastar dinheiro público.

Depois do genro do prefeito quem mais gastou com viagens foi o secretário de Cultura, João Mendonça Everton, que, em três processos, recebeu R$ 7.950,00 para uma viagem à Brasília, uma reunião em Itatiaia e para participar de palestras no Rio de Janeiro. O nome do prefeito aparece no documento com um total de R$ 2.850,00 em quatro processos, sendo que uma das despesas foi para que Álvaro Cabral pudesse participar de um encontro político no Rio, o que aconteceu no dia 15 de março.

Para o vereador que levantou a questão e quer saber como e em que esse dinheiro foi gasto, as informações, a apresentação dos comprovantes dessas despesas se fazem necessário “para maior conhecimento e transparência das despesas que foram feitas”.

 

Matérias relacionadas:

MPF vai investigar compra de remédios com verba federal em Valença

Vereador de Valença sai em defesa do indefensável

Má gestão deixa Saúde de Valença na UTI

Valença pagou por remédios que nunca recebeu

Assessora de Valença desviava de dinheiro de contas bancárias 

Comentários:

  1. É lamentável sim. Além desses gastos não serem transparentes para o povo de Valença-RJ, é preciso verificar a fonte pagadora. O Fundo de Assistência Social tem uma Lei que o rege. É preciso dizer ao vereador da necessidade de verificar isso também. Existem critérios, mas eles não são “visíveis” para a sociedade. Os gastos de 2013 podem ser acessados no site http://200.223.4.106/application/transparencia_pmv/con_transparencia_pmv/con_transparencia_pmv.php

  2. Será que ninguem viu que este prefeito está fazendo NEPOTISMO com o genro, e a filha que é vereadora tambem faz a mesma coisa.Newnhum dos dois poderia ter nomeado este secretario.E os vereadores calados!!!!!!!

  3. Não sei se fugi a algumas aulas de matemática, mas não entendi as contas explanadas nesta matéria. E outra coisa, gastos deste tipo estão ou deverão estar no plano de gastos da Prefeitura “Plano Plurianual”, aprovado pelos vereadores. Neste plano cada Secretaria ou setor tem uma estimativa “fixada” de gastos possíveis. Todo setor, repartimento, secretaria, etc. do serviço público possui verba específica destinada para determinados gastos, inclusive viagens para participar de encontros e congressos. Cabe investigar e se houver irregularidade punir.

    1. Acho que o seu problema não é com a matemática e sim com o português. A matéria chama a atenção para viagens desnecessárias a Bahia e ao Mato Grosso, visto que esses congressos em nada acrescentam ao município. Você deve estar acostumado com o jornalismo de sotaque caipira dessa nossa cidade e não com o jornalismo dos grandes centros, principalmente com a pena premiada do Elizeu Pires. Esse não é chapa branca e não precisa das migalhas que caem das mesas do poder.

Deixe uma resposta para Mário Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.