Com menos casos de covid-19 confirmados, Mesquita registra índice de letalidade maior que o verificado em Belford Roxo

Em Belford Roxo cada paciente que recebe alta sai aplaudido pelos médicos e pessoal de apoio

Com cerca de 520 mil habitantes, segundo estimativa do IBGE, o município de Belford Roxo tinha, até ontem (6) 200 casos confirmados de covid-19, com 17 óbitos, segundo revelam dados da Secretaria Estadual de Saúde, uma realidade bem diferente da verificada em Mesquita, que tem pouco mais de 170 mil moradores e registrava – também até ontem –, de acordo com os números da Secretaria Municipal de Saúde, 23 mortes, com 172 casos, uma letalidade de 13,37%, contra os 8,5% da cidade maior.

A diferença a maior para um universo menor de moradores e de pessoas contaminadas, aponta quem entende do assunto, está no socorro mais rápido prestado pelo Hospital Municipal de Belford Roxo, que atende atualmente cerca de 1.200 pessoas, 30% delas residentes em outros municípios, sendo 10% de Mesquita, segundo o último levantamento feito pela gestão do HMBR.

Desde a semana passada que a vereadora Cristiane Pelinca do Amaral, mais conhecida como Cris Gêmeas, vem chamando a atenção para a grave situação mostrada pelos números de Mesquita, que apesar de ter um pólo para atendimento exclusivo às pessoas com suspeita de contaminação pelo coronavírus, não conta com leitos disponíveis para internação, ao contrário de Belford Roxo, que instalou 208 leitos.

Mais trabalho com menos dinheiro – Prestando três vezes mais atendimentos que o volume contratado pelo município, a instituição gestora do Hospital Municipal de Belford Roxo vem contando centavos para manter a unidade em pleno funcionamento em tempos de coronavírus. O contrato firmado com a instituição social  Movimento Organizado  de Gestão Comunitária (Mogec), previa um repasse mensal de R$ 3,8 milhões para a manutenção do HMBR e da UPA 24h do bairro Lote XV, mas não é isto que vem acontecendo.

Atualmente, quando muito e mesmo assim com atraso, a Prefeitura repassa no máximo R$ 2,5 milhões para as duas unidades, mas apesar disto e do fato de o hospital estar com 25% do total de funcionários afastados por terem sido testados positivos para covid-19, as equipes do HMBR tem feito a diferença, com a direção fazendo algumas substituições temporárias e incentivado e com o pessoal trabalhando em horas extras.

Comentários:

  1. Isso é uma vergonha !!
    MESQUITA com esses números fica marcado, por estarmos largados com o atual gestor !!
    Eu minha casa e para que eu poder irei pedir apoio para essa meninas Cris gêmeas prefeita que anda com o povo .

Deixe uma resposta para Márcio Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.