Dívida com servidores de Meriti é muito maior

Um novo protesto de funcionários vai acontecer nessa segunda-feira

Além de salários atrasados, do não pagamento do 13º salário, faltam gratificações asseguradas por lei, contribuição sindical e previdenciária 

Se aparecer para trabalhar nessa segunda-feira o prefeito de São João de Meriti, Sandro Matos (PDT), vai deparar com mais uma manifestação dos servidores ativos e inativos, que reivindicam a regularização dos salários e o pagamento do décimo terceiro. O ato está marcado para as 9h em frente à sede do governo, o mesmo local de protestos passados que não deram nenhum resultado, pois a julgar pelo silêncio do prefeito sobre esse assunto, o governo deve ter assuntos mas sérios a tratar ou não tem coragem de encarar a situação de frente por falta de uma resposta positiva para a categoria. Entretanto, segundo uma fonte do governo, a Prefeitura está devendo tanto que nem Sandro sabe ao certo o volume da dívida, uma bola de neve que começou a crescer desenfreadamente desde março do ano passado.

Se os servidores da ativa estão preocupados com a situação os inativos tem muito mais razões para se apavorar. “A contabilidade da previdência municipal é uma caixa-preta. A instituição está quebrada e ninguém fala sobre isso. Não há nenhuma transparência sobre os repasses das contribuições previdenciárias. Nada garante que os valores descontados nos contracheques estejam chegando ao Meriti-Previ. O calote é muito grande e nem os repasses da contribuição sindical tem sido feitos. Só a uma entidade sindical o município já deve cerca de R$ 8 milhões”, disse a fonte ao elizeupires.com agora a pouco.

De acordo com a fonte, o ideal seria a realização de uma auditoria no Instituto de Previdência dos Servidores Públicos de São João de Meriti (Meriti-Previ) para que os números possam ser conhecidos. Segundo a fonte, muitas ações judiciais estão tramitando em favor de servidores ativos e inativos, algumas já com decisões positivas para os funcionários, mas a Prefeitura não tem cumprido as decisões da Justiça.

Representação dos fiscais da Prefeitura, o Sindifisco patrocina várias ações, já ganhou algumas, mas não consegue ver os direitos assegurados. Essa instituição é uma das que tem direito a receber as contribuições sindicais descontadas nos contracheques dos servidores do setor de fiscalização de tributos, mas há anos não vê a cor do dinheiro. “O prefeito precisa mostrar pelo menos um pouco de boa vontade, porque é de salários que estamos falando. É uma questão de subsistência. Tem muitos que não ainda não receberam o salário de setembro, sem falar no pessoal da saúde, onde há casos que o mês de agosto também não foi pago”, completou a fonte.

Comentários:

  1. Primeiro gostaria de parabeniza-lo por estar sempre informando a nós funcionários e a sociedade sobre o caos que se tornou essa Prefeitura. Como sou leiga no assunto gostaria que alguém me respondesse sobre o que é preciso para tirar esse prefeito do cargo? A quem compete tal ato? E com tantos desmandos porque o M.P. não faz auditorias sobre as contas públicas dessa prefeitura, começando por exigir que Sandro Matos explique através de documentos o que foi feito com as verbas enviadas pelo Governo Federal. E se realmente houve como ele diz um desvio provocado por uma funcionária(pois ele afirma que foi ali que tudo começou), tem B.O.? Foi dado queixa? Sim, pois a polícia federal deveria estar investigando a tal funcionária e o montante do dinheiro desviado pela mesma. E ainda, Saúde e Educação recebem verbas próprias e não deveriam ter um dia sequer de atraso. Enfim, são vários questionamentos e poucas pessoas de fato sem nos responder.

Deixe uma resposta para Eliete Lopes Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.