Bonito, mas não funciona

A inauguração aconteceu no dia do aniversário da cidade. Foi o único dia que a piscina funcionou

Centro Olímpico de Nova Iguaçu ainda não está sendo aproveitado 

Inaugurado no último dia 15, durante as comemorações dos 182 anos do município, o Centro de Formação Olímpica de Nova Iguaçu, localizado nas proximidades do aeroclube, na Avenida Governador Roberto Silveira, ainda não está sendo utilizado pela Secretaria Municipal de Esportes, que também não providenciou a devida segurança para o espaço, que na última sexta-feira tinha apenas um vigia e esse estava preocupado com a possibilidade de uma invasão para usar a piscina, que, segundo a Prefeitura, vai ajudar na formação de atletas.

“O aniversário é de Nova Iguaçu, por isso, fizemos questão de dar este grande presente para a cidade e principalmente, para quem vive aqui. Investindo na educação e na formação esportiva das nossas crianças, certamente estaremos deixando um grande legado para o futuro. Estamos avançando através do investimento em políticas públicas que trazem mais dignidade para o nosso povo”, disse o prefeito Nelson Bornier durante a solenidade de inauguração.

O Centro Olímpico foi inaugurado para proporcionar natação para crianças e a terceira idade, prática de futebol de campo, basquete, vôlei de areia e capoeira, atividades gratuitas que, de acordo com a estimativa da Prefeitura, contemplariam cerca de 500 pessoas por dia, funcionando nos turnos da manhã, tarde e noite, mas nada disso começou a acontecer.

 

Cabide de emprego?

O órgão do governo municipal que ainda não pôs o centro olímpico para funcionar, é comandado pela mesma pessoa desde a gestão do prefeito Lindberg Farias, mas esse, ao que parece, apesar da longa permanência no cargo, parece que não teve tempo de apresentar projetos e colocá-los em prática. Adriano Santos, segundo fontes do próprio governo, não chefia uma secretaria que tem, atribuições e dotação, mas sim um grande cabide de empregos, um imenso guarda-chuva a abrigar do temporal da falta de salário cabos eleitorais do prefeito Nelson Bornier e de vereadores, além de ex-jogadores e pai de ex-jogador.

“Na verdade a Secretaria de Esportes e Lazer nunca existiu. Está no papel e nos balancetes de despesas do município, mas só serve mesmo é como cabide de emprego, mas isso não pode ser colocado só na conta do secretário, porque o prefeito dá o cargo, mas não permite que o secretário escolha com quem gostaria de trabalhar. As nomeações são feitas para atender vereador e não para por o setor para operar de verdade”, afirma um decepcionado desportista, que gostaria de ver a grande estrutura existente em amplo funcionamento.

Comentários:

  1. Não é só na Secretaria de Esportes que tem cabo eleitoral de vereador. Eles encheram outros setores também. O que tem de incompetente mandando em escola e posto de saúde é uma loucura.

Deixe um comentário para Bruno Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.