Será que dá para atingir a meta?

O esgoto lançado diretamente no mar é o maior responsável pela agressão à Baia de Guanabara

Anunciados mais R$ 500 milhões para a Baía de Guanabara  e outros R$ 900 milhões ainda serão licitados

A meta do governo estadual é tratar, até a abertura dos jogos olímpicos de 2016, 80% do esgoto lançado na Baia de Guanabara e para isso o governador Luiz Fernando Pezão anunciou, na semana passada, investimentos de mais R$ 500 milhões para as obras de despoluição, uma proposta que se arrasta desde a década de 90.  Esse dinheiro, explicou o governador, será destinado para a ampliação da Estação de Tratamento de Esgoto Alegria, o saneamento do Complexo da Maré e execução do tronco coletor Faria Timbó, que também vai beneficiar Manguinhos e Alemão. “Os ministérios das Cidades e do Planejamento liberaram esses recursos. A gente quer seguir fazendo o dever de casa para alcançar os 80%. Só os Jogos Olímpicos nos permitiram avançar dessa maneira”, disse Pezão.

Pelos planos do governo estadual, o esgoto produzido nos municípios da Baixada Fluminense será tratado pela iniciativa privada, a partir de uma parceria-público-privada, a chamada PPP, podendo englobar também o município de São Gonçalo. O governador afirmou que algumas empresas já demonstraram interesse, mas isso ainda vai demorar a sair do papel.

Ainda segundo o governador, o programa de despoluição vai licitar mais R$ 900 milhões em obras, parte de um total de R$ 1,2 bilhão já liberados pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), também para tratar o esgoto lançado na Baía de Guanabara.

Comentários:

Deixe uma resposta para Arthur Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.