Prefeitura de Silva Jardim esconde gastos do setor de saúde

Nessa imagem da assessoria de imprensa da Prefeitura a farmácia parece abastecida, mas usuários de algumas unidades de atendimento reclamam que o prefeito Anderson Alexandre tem deixado faltar alguns itens importantes

Processos licitatórios, contratos e pagamentos de medicamentos e material de consumo não podem ser consultados no sistema da Prefeitura

Réu em ações de improbidade administrativa e alvo de vários procedimentos investigativos por parte do Ministério Público, o prefeito Anderson Alexandre parece que ainda não tomou jeito, pois vem fazendo segredo dos gastos feitos com recursos federais, principalmente em relação aos processos licitatórios, contratos e pagamentos de compras de medicamentos e materiais de consumo para abastecer as unidades da rede de saúde de Silva Jardim. Abrir um arquivo em PDF dos boletins oficiais ou encontrar resultado dos pregões e a relação de pagamentos feitos nos últimos três anos é uma missão quase impossível, principalmente quando se trata de uma das maiores credoras do município, a empresa Carioca Medicamentos, que, pelo que se comenta entre vereadores e até membros do governo, teria sido apresentada ao prefeito durante a campanha eleitoral por um lobista que teve forte atuação no município de Guapimirim, onde ela faturou mais de R$ 16 milhões entre 2012 e 2015.

 

Sobre a Carioca aparecem no sistema apenas dois empenhos que somam pouco mais de R$ 1 milhão, quando se sabe que os gastos foram muito maiores na aquisição de remédios de janeiro de 2012 a dezembro de 2015, uma média de R$ 150 mil por mês, um total representando no mínimo R$ 5,4 milhões em despesas que não estão nada claras. Em relação a medicamentos e materiaisde consumo há registros de pagamentos ainda em favor de outras duas empresas (Kademed e Especifarma), mas em valores que não chegam a metade do total que aparece como pago a Carioca. Somando os valores destinados a essas três empresas ficam faltando pelo menos R$ 3,9 milhões para se chegar ao total gasto no período em que, curiosamente, a maior credora não aparece no Portal da Transparência de Silva jardim como vencedora de nenhuma licitação. Os dois registros de pagamentos feitos a Carioca apontam para duas adesões de atas de registro de preço: R$ 843.916,70 (Ata 09/2015 FMS) e R$ 219.431,59 (Ata 18/2014-FMS).

 

Matéria relacionada:

Emprego em Silva Jardim só até o dia 30 de setembro

Envie seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.