Guapimirim não diz quanto pagou por uniformes

O secretário de Educação Rui Aguiar e o prefeito Marcos Aurélio se encarregaram de fazer a distribuição pessoalmente, mas o custo dos kits eles não divulgaram até agora e muito menos o nome da empresa que os forneceu

Troca constante de comando na Secretaria de Educação contribuiria para esconder ainda mais as despesas do setor. O secretário atual teria sido indicado para assessorar sua antecessora por um empresário a ela ligado

Com pompas e circunstâncias o prefeito Marcos Aurélio Dias e o secretário de Educação Rui Aguiar iniciaram pessoalmente este mês a distribuição dos novos uniformes escolares para os cerca de nove mil alunos da rede municipal de ensino de Guapimirim, mas os contribuintes não sabem quanto foi gasto na aquisição dos kits e qual empresa os forneceu, pois a relação de empenhos por credor e a lista de despesas pagas ou empenhadas da Secretaria disponíveis no sistema da Prefeitura não fazem nenhuma referência sobre esta despesa e os gastos por credor informados não representam nem 1% do total despendido pelo setor de Educação em 2015 e não há um registro sequer do exercício deste ano.  Em 2015, por exemplo, os repasses constitucionais recebidos pelo município passaram de R$ 94 milhões, mas o difícil é saber onde e em que os recursos foram aplicados, já que a Prefeitura não se empenha em expor os números de forma clara como determina a lei.

 

Em praticamente 43 meses de gestão o prefeito Marcos Aurélio Dias teve quatro secretários de Educação, três em menos de um ano. Maria Cecília Faria Pinto foi a que mais tempo ficou no cargo e em seu lugar entrou Paulo de Tarso Machado de Barros. Paulinho do Leopoldo, como o sucessor é mais conhecido em Nova Iguaçu (onde também durou pouco na Secretaria de Educação), foi substituído pela vereadora Rizê Silvério, que não durou muito na função e teve como substituto  um colaborador próximo, o advogado Rui Aguiar, que teria sido indicado por um empresário do ramo de malhas a ela ligado. O novo secretário de Educação de Guapimirim ficou conhecido na Baixada Fluminense por sua passagem pela Prefeitura de Nova Iguaçu, no governo de Lindberg Farias (PT), na qual atuou como subsecretário de Governo e secretário de Comunicação.

Na gestão de Lindberg houve um escândalo na compra de uniformes, objeto de uma CPI e de inquérito no Ministério Público Federal. Em 2006 foi feita uma licitação para compra de uniformes escolares no valor de R$ 9.153.389,74, vencida pela empresa WQ Comércio de Material Escritório. O contrato assinado no dia 22 de dezembro daquele ano foi alterado em 9 de março de 2007, depois que vereadores do bloco de oposição apontaram sobrepreço. O valor global caiu para R$ 8.289.565,72, com a redução dos preços cobrados em alguns itens, mas mantendo o superfaturamento da camiseta, com a Prefeitura pagando R$ 16,87 pela unidade, quando um participante desclassificado no certame se propôs a fornecê-la nas mesmas especificações técnicas a menos de R$ 9. Durante as investigações apurou-se que a Prefeitura deixou de comprar mais barato de uma grande empresa com fabricação própria para adquirir os uniformes da WQ, que não tinha uma costureira sequer em seus quadros e funcionava numa pequena loja da Rua Alexandre Fleming, 890, no bairro Vila Nova, no município de Mesquita.

De acordo com a Secretaria de Educação até a próxima quarta-feira todos os alunos terão recebido os uniformes e no segundo semestre serão entregues “mais uma camisa e um par de tênis para os alunos participarem do desfile cívico” e que o kit atual “contém além de camisas duplas (com e sem manga), bermuda ou calça (dependendo do segmento), um par de meia e um par de tênis” e estão sendo distribuídos aos alunos de 33 unidades (11 creches e 22 escolas).

 

Matérias relacionadas:

Despesas de 2014 somem do sistema de Guapimirim

Contas no escuro em Guapimirim

Empresa amiga faturou mais de R$ 16 milhões em Guapimirim

Empresas de família de vereador faturaram mais de R$ 8 milhões

Dois contratos e uma suspeita

Camisetas caras demais

Superfaturamento comprovado em Nova Iguaçu

Comentários:

  1. Esse Rui deve ser o cara. Chegou aqui como assessor, tornou-se secretário e ocupou outros espaços. Quem o indicou acabando levando uma pernada de anão.

Deixe um comentário para edson Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.