Global vai operar com outro nome em Guapimirim

Dívidas trabalhistas impedem contratação

Atuando com o fornecimento de mão de obra e gestão de hospitais e postos médicos em vários municípios, a Organização Social Global Soluções em Saúde deverá atuar em Guapimirim com o outro nome. A instituição – que chegou em Magé em 2011, teve o contrato rescindido pela Prefeitura por não atender, à contento, as necessidades da população -, estaria com dívidas trabalhistas e em situação de inadimplência em relação a encargos sociais.

De acordo com uma fonte ligada à Prefeitura, a OS vai substituir a organização não-governamental Casa Espírita Tesloo, que tinha contrato com o município para terceirizar mão de obra, no valor de R$ 34 milhões. A atuação da Global é questionada em várias cidades. No caso das pessoas contratadas através da Tesloo para prestarem serviço em vários diversos setores da Prefeitura, todos já receberam o aviso prévio.

As experiências com terceirização de gestão em saúde não vem dando certo em muitas cidades. Em Magé o prefeito Nestor Vidal fez duas tentativas e recuou a tempo, rescindindo os contratos muito antes do vencimento. Além disso, a terceirização em Guapimirim está na mira do Ministério Público desde a contratação da Tesloo feita pelo então prefeito Junior do Posto.

Comentários:

  1. Voltando ao Tema do Filme, O Segredo de Santa Vitória que pude assistir depois de ler alguns comentários do tema anterior sobre Guapimirim.

    O Prefeito tinha uma mulher chamada Rosa, que era braba prá caramba! Ouvi alguém dizer que em Guapi, tem uma mulher parecida com a Rosa.

    No filme, o segredo de Santa Vitória era o Vinho. Qual será o Segredo de Santa Guapimirim?

    No Governo anterior era uma Instituição Casa Espírita Tesloo, inclusive reprovada até por alguns amigos que segue essa doutrina.

    Agora é a Global Soluções. A pergunta é: Essa Global dará soluções para a população ou para alguns que insistem nessa Cartada.

    No jogo de Sueca (Cartas), depois que o jogador joga um “Às” e se dá bem, e depois insistem em jogar o “7”, tá querendo se ferrar! Quem sabe, pode até passar.

    Cabe lembrar, que o segredo de Santa Vitória era conhecido por toda população, menos para os Alemães.

    Como em Guapimirim, não tem Alemão, por isso, o povo não sabe de nada.

  2. Se a OS possui dívidas trabalhistas e está inadimplente com entes públicos, como é que se credenciou para fornecer para Guapimirim? Houve dispensa de licitação em razão de notória especialização? A PMG não vai solicitar documentos que comprovem a situação fiscal, trabalhista e outras? Vamos ver o Diário Oficial do município e verificar qual a razão para a contratação desta ou de outra OS. Agora, independente de documentação, será que não tem uma cabeça pensante pra raciocinar que, se a empresa (ou sua coligada) não deu certo em Magé muito provavelmente não dará em Guapi. Será que essas pessoas contratam eletricistas e pedreiros para serviços em suas casas mesmo sabendo que fizeram lambança nas casas dos vizinhos?

  3. Não sou radical com relação à terceirização. Acho que as OS, assim como as SPE (Sociedades com propósito específico) têm maior agilidade e, com a orientação e orçamento definidos em contrato, podem fazer muito melhor o papel da administração pública que, por força de toda uma legislação pesada e burocrática, gera lentidão aos processos de trabalho e, quase sempre, essas águas terminam em corrupção e impunidade.
    O segredo para que uma empresa terceirizada preste um bom serviço pode ser resumido numa palavra: fiscalização. Uma terceirizada é tão boa quanto a fiscalização que se faz.
    Exemplifico: as empreiteiras que prestam serviços à CRT são as mesmas que trabalham para a prefeitura do Rio. Por que os reparos no asfalto da Rio-Teresópolis são tão bem feitos e os das ruas do Rio um verdadeiro lixo? Fiscalização eficiente da CRT e nenhuma da Prefeitura do Rio!
    Se a Prefeitura de Guapi for eficaz na fiscalização do contrato, a Global se enquadra, ou vai rodar em 3 meses…

Deixe um comentário para Zeca Danoninho Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.