Sobra dinheiro, mas falta saúde em Rio das Ostras

Médicos deixam a cidade por conta do baixo salário

Uma das dez cidades proporcionalmente mais ricas do país, Rio das Ostras está doente e o prefeito Alcebíades Sabino dos Santos não poderá diz que é por falta de recursos. A precariedade do setor de saúde preocupa a população e já está sendo criticada até mesmo na submissa Câmara de Vereadores, onde a maioria de seus membros diz amém para tudo o que o prefeito fala e não dá um passo no sentido de defender os interesses da população. Na rede de saúde do município, reclamam lideranças comunitárias e moradores, tem faltado médicos e até materiais de consumo, um quadro vergonhoso para uma cidade tão bem provida de recursos financeiros. “O problema da saúde de Rio da Ostras é de gestão e não de falta de dinheiro”, dispara um médico que resolveu deixar a cidade por conta do parco salário pago pela Prefeitura.

No cargo pela terceira vez, o refeito Alcebíades Sabino tem dito que a culpa do baixo salário dos médicos é da Câmara de Vereadores. Isso, diz um dos poucos membros da Câmara que não baixam a cabeça para o prefeito, “é mentira”, até porque o Poder Legislativo não pode apresentar nenhuma proposta que gere despesa para o município. Essa tarefa é exclusiva do Poder Executivo, que tem de mandar o projeto de lei com a proposta de reajuste para ser votado na Câmara, o que Sabino não fez.

“Enquanto médicos de municípios vizinhos recebem R$ 7 mil de salário, Rio das Ostras paga R$ 2,5 mil. E o prefeito diz em seus discursos que não concede aumento por causa do Legislativo que não autoriza. O Executivo nunca enviou nenhuma mensagem, projeto ou decreto solicitando aumento dos médicos, mas sim pedidos de suplementação de verba, menos para esta finalidade. Mente o chefe do Executivo quando diz que esta Casa não atende as suas solicitações. Enquanto temos verba para salário 50% ou 70% maior, nada se fala para os médicos”, disparou no plenário o vereador Marcelino Dias.

Fora os recursos destinados ao setor de saúde e as receitas próprias, o município de Rio das Ostras recebeu do governo federal nos seis primeiros meses deste ano exatos R$ 188.707.978,91, sendo R$ 164.172.102,75 de royalties do petróleo, mas tanto dinheiro não está servindo para melhor o atendimento à população. “Estão morrendo em nossos hospitais por falta de atendimento médico. Tem verba para tudo, menos para isto”, completou, também em plenário, o vereador Gelson Miranda Apicelo.

 

 

 

Comentários:

  1. Eu não tenho o que reclamar da saúde pública de Rio das Ostras, toda vez que fui no hospital e no pronto socorro fui muito bem atendido, o problema são esses médicos que acham que é uma classe superior a outras e que tudo gira em torno deles, até mesmo o aumento de salário, quer moleza senta no pudim malandro…

    1. Mas ninguém falou isso aqui. A matéria é informativa diz que além dos recursos destinados ao setor de saúde e as receitas próprias, o município tanto e royalties.

    1. Mara, não se avexe, como dizem em minha terra. Puxa saco é assim mesmo e RO está cheio deles. Sabemos que Sabino Malvadeza mantém essa gente com dinheiro público e deixa de pagar melhor aos médicos. Não é só a saúde que está um caos nesta bela cidade. É um município onde mulheres, leis e agora até crianças são estupradas e ninguém vai preso e ainda há os que defendem o governo. Quem sabe agora o povo aprende a votar e nas próximas eleições defenestra esse Sabino, Carlão e sua trupe.

  2. É isso que acontece quando o executivo fecha os olhos para as melhorias. Os médicos tem que ser valorizados seja nas condições de trabalho e no salário. mas a verdade, é que a cidade está jogada as traças ! Acorda povo de Rio das Ostras. Sabino tá fingindo que não é com ele, justamente pra esconder o dinheiro na cueca, ops no bolso. Rio das Ostras tem dinheiro suficiente pra melhorar tudo na cidade. não faz porque é egoísta e se acha a última bolacha do pacote.

Deixe um comentário para Mara Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.