BR-493: licitação será homologada na próxima semana

Serão feitas pelas empresas Sobrenco, Concresolo e Ctesa

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), vai homologar, na próxima semana, o resultado da licitação para elaboração do projeto e execução das obras de duplicação da BR-493, que liga o município de Magé a Itaboraí, numa extensão de 25,5 quilômetros. O certame foi vencido pelo Consórcio Encalso, formado pelas empreiteiras Sobrenco, Concresolo e Ctesa. As obras deverão ser iniciadas no primeiro trimestre de 2014. A proposta vencedora atingiu o total de R$ 405 milhões.

As obras serão iniciadas com um atraso de cinco anos, já tendo sido protelada uma vez, com um acordo que não  chegou a ser concluído. Em 2008, conforme já foi noticiado, foi feito um acordo entre os governos federal e estadual para que a duplicação fosse executada dentro das obras do Arco Metropolitano. Como o acordo não foi cumprido pelo fato de o custo não ter sido incluído na licitação do arco, o Denit resolveu licitar um projeto em separado, o que foi feito anteontem.

O processo licitatório foi feito pelo Regime Diferenciado de Contratação (RDC), com o  consórcio vencedor se encarregando do projeto e execução das obras, o que agiliza os trabalhos. Conforme a própria ata registra, os outros dois consórcios que participaram na concorrência se comprometeram a não recorrer contra o resultado, o que ajuda a agilizar a elaboração do contrato, o que contribui para não atrasar o início das obras.

Documento relacionado:

Ata da licitação

Matéria relacionada:

Duplicação da BR-493 será licitada nessa terça

Comentários:

      1. Prezado Leny, um dos entraves desta obra quando da primeira licitação realizada, além das jazidas para a execução dos aterros necessários, é justamente as desapropriações que devem ser feitas. Tomara que isto já tenha sido resolvido, pois, caso contrário, mais uma vez vamos ficar a ver navios.

      2. Experimente entrar nas casas e ver a barulheira que já é, estou imaginando com a duplicação. De Magé até Manilha até tudo bem, falo do trecho entre a primeira entrada (posto Roncador) de Magé até mais ou menos no Motel Fany, com a duplicação vai ficar praticamente dentro de casa.

  1. vamos ver o que vai ser feito no pedaço entre o vale das perdrinhas e itambi pois esta area e alagada a mas de quarenta anos nao consequirao acertar a ponte que inclusive teve uma vez que o exercito teve que colocar ponte metalica esta obra teria que ser feita como a linha vermelha PROJETO ORIGINAL margeando o manque no caso nao teria desapropriaçao e evitar muitos acidentes

  2. Tem caminhoneiro que estão desde maio de 2017 sem receber o frete do barro pela Binho Transporte, contratada da Trans Legal e o consórcio faz vista grossa. Vamos parar a BR 493 e o barreiro que trabalha sem nota e com excesso de carga. Só funciona a base de proprina com a PRF e quem sofre são os caminhoneiros, não recebem o frete e ainda são multados pra forçar a empresa a pagar o deles. Isso é uma vergonha!

Deixe uma resposta para Luiz Carlos Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.