Empresa que seria ligada a secretário fatura alto em Rio das Ostras

Titular da Secretaria de Obras aparece como responsável por empreiteira

Secretário de Obras do Muni- cípio de Rio das Ostras desde a gestão do prefeito Carlos Augusto Balthazar, o engenheiro Wayner Fajardo Gaspa- rello, figura no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio de Janeiro (Crea-RJ), como responsável técnico pela Tec Pav Construtora, o que não seria nada demais se essa micro empresa não tivesse três con- tratos com a Prefeitura de Rio das Ostras, firmados a partir de setembro do ano passado. Os três contratos somam exatamente R$ 1.871.561,06 e, por força de lei, não poderiam ter sido assinados, pois membros do governo e agentes políticos não podem ter nenhum tipo de ligação com empresas ou instituições que mantenham relação de negócios com a municipalidade na qual exerçam posição de mando.

O primeiro contrato da Tec Pav na gestão do prefeito Alcebíades Sabino foi firmado no dia 3 de setembro de 2013, Pelo valor total de R$ 611.929,08 a empresa foi contratada para reformar seis pequenos postos de saúde, unidades existentes nos bairros Rocha Leão, Recanto, Cidade Praiana, Operário, Âncora e Nova Esperança. Esse contrato foi fracionado em seis notas de empenho nos valores de R$ 79.698,66, R$ 93.947,43, R$ 87.374,48, R$ 57.209,47, R$ 195.849,02 e R$ 97.850,02. Dois meses depois foi firmado o contrato para implantação de rede de drenagem, calçadas e pavimentação das Ruas São Fidélis e Bom Jesus de Itabapoana e a construção de calçada na Rua Itaperuna, no bairro Jardim Mariléa, no valor total de R$ 827.354,80. Já em dezembro foi feito o terceiro contrato, este no valor de R$ 432.915,46, destinado a urbanização do entorno do Posto de Saúde localizado na Avenida Linda, no loteamento Novo Rio das Ostras.

O fato já foi denunciado ao Ministério Público que deverá abrir um procedimento investigativo para apurar se o secretário ainda está ligado à empresa e como se deram os processos licitatórios, todos na modalidade Tomada de Preços. Fajardo não foi encontrado para falar sobre o assunto e a assessoria de imprensa da Prefeitura não retornou os contatos feitos durante o expediente do dia de ontem.

Comentários:

  1. O contrato foi feito na gestão de Sabino e a culpa é do Carlos Augusto? Quer defender o governo do coroné arruma outro argumento, pois esse aí é muito fraco.

  2. Na China, se comprovadas as irregularidades, estes cidadãos seriam fuzilados e a família teria que pagar pelas balas. Aqui Eles empregam pessoas como o PM Carvalhinho ( conhecido invasor de terrenos), como Chefe do Cofins para perseguir e intimidar quem ousa discordar desta Quadrilha!

Deixe uma resposta para Afonso Batista Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.