Uma cidade inteira contra a Claro

Na pequena Bom Jardim tramitam mais de mil ações e as queixas no Procon chegam a três

Proporcionalmente, o município de Bom Jar- dim, na Região Serrada do estado do Rio de Janeiro, é o que registra o maior volume de reclamações no Procon e na Justiça, contra a operadora de telefonia celular Claro, que tem deixado a desejar na maioria das cidades nas quais opera. Na Procuradoria do Consumidor o volume de queixas chega a cerca de três mil – o que representa mais de 10% do universo populacional da cidade, que é de pouco mais de 25 mil moradores – e na Justiça o total de ações passa de mil processos, sendo que 300 deles, segundo o Ministério Público, já tiveram sentença favoráveis aos consumidores insatisfeitos

Essa semana a 2ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva do Núcleo de Cordeiro obteve decisão uma vitória na Justiça, obrigando a Claro restabelecer adequadamente, em até 48h, o serviço de telefonia em Bom Jardim, sob pena de uma multa diária de R$ 100 mil em caso de descumprimento. A decisão foi tomada em ação civil pública movida pelo promotor de Justiça Luiz Fernando Amoedo. Ele destacou que de 18 de setembro de 2013 até hoje, “vêm ocorrendo falhas constantes na prestação do serviço, que impedem os usuários de efetuarem e receberem chamadas”.

O número as reclamações contra a Claro em todo o estado do Rio de Janeiro aumentou muito a partir do segundo semestre de 2013. Na Baixada Fluminense há casos em que bairros inteiros ficam sem sinal de telefonia. Em Magé a situação, reclamam os usuários, isso chega a acontecer quase toda semana, normalmente as terças-feiras, e chega a afetar toda a cidade.

 

 

 

Comentários:

Deixe uma resposta para Waldir Costa Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.