TRE mantém cassado vereador de Itaboraí

Vereador mais votado de Itaboraí em 2012, Lucas Borges (PMDB), terá mesmo de deixar o mandato. É que o Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ), confirmou na noite de ontem a cassação do mandato dele, proferida pela Justiça Eleitoral da cidade, por abuso de poder econômico. Lucas Rogério Baptista Borges foi eleito pela primeira vez em 2004 e desde 2005 vinha mantendo um centro social, no qual, segundo denunciou o Ministério Público, cadastrava eleitores a pretexto de oferecer serviços médicos e profissionalizantes.

De acordo com o MP, Lucas, que até 31 de dezembro de 2012 presidia a Câmara Municipal, usava funcionários do Legislativo trabalhando em sua instituição. Além de perder o mandato ele ficará inelegível por oito anos. O vereador ainda pode recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mas terá de fazer isso fora do mandato.

A perda do mandato não é o único problema de Lucas. Ele também está sendo investigado por ter sido acusado de mandar matar um adversário que o estaria chantageando, o policial militar Renato Garcia da Silva, hoje sob proteção especial. Uma gravação em áudio mostra Lucas conversando com o ex-policial civil Marcelo Tinoco de Carvalho, que seria o agenciador do “serviço”.

Matérias relacionadas:

Banditismo e política se misturam em Itaboraí

PMDB negará vaga a vereador acusado de encomendar assassinato em Itaboraí

Comentários:

Deixe uma resposta para Madson Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.