CRT com os dias contados em Magé

E o pedágio na Rodovia Presidente Dutra ficará mais barato

O ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas deu boas noticias no evento realizada ontem – Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Discutida desde novembro do ano passado –  inclusive com a proposta de inclusão da Rio-Santos e dos 70 quilômetros do Metropolitano no pacote –  a nova concessão da BR-116, trechos formados pela rodovias Presidente Dutra e  Santos Dumont, também conhecida como Rio-Teresópolis, trás, desde ontem (7), um alento para o município de Magé. É que  no evento Concessões das Rodovias, Rumo a um Futuro Melhor, realizado em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, com a presença de prefeitos da região, o ministro da Infraestrutra, Tarcísio de Freitas, afirmou que o contrato da Concessionária Rio Teresópolis (CRT) não será renovado.

Com o fim da concessão dada à CRT, Magé ficaria livre das praças de cobrança que ilham o município, e tanto atrapalham o desenvolvimento econômico. A informação passada pelo ministro alegrou o prefeito Rafael Santos de Souza, o Rafael Tubarão, presente ao encontro. “Finalmente a gente pode falar que Magé não terá mais pedágio. Após muita luta, terminando a concessão para a CRT, não estamos deixando brechas para manterem o pedágio dentro do nosso município. Quero agradecer a todos os deputados federais pela luta em conjunto que nós tivemos, ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e ao deputado Vandro Família. Foi uma luta de anos que nós vencemos”, festejou Rafael.

Nova licitação – Com pelo menos três audiências públicas já realizadas, o processo para a nova concessão da Rodovia Presidente Dutra continua em andamento, mas pelas tratativas iniciadas no evento de ontem, o trecho da Baixada Fluminense, inserido em novo processo, vai receber investimentos, inclusive para duplicação de viadutos.

Foi anunciado ainda que a nova licitação para concessão da Dutra não mencionará mais os postos de cobrança que seriam instalados em Guarulhos e em Barra Mansa, e reduzirá a tarifa atualmente praticada na praça de Seropédica, na Baixada Fluminense, segundo afirmou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas.

Entretanto, em relação ao município de Magé, que está ilhado por três postos de tarifação, a possibilidade de saída da praça principal, na localidade de Bonbaga, desejo de moradores, empresários e políticos locais, passou a ser  vista como “favas contadas” com a decisão do governo federal de não renovar o contrato com a CRT.

Pelo que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) vinha dizendo até o mês passado, o novo modelo de gestão desenhado para o trajeto hoje administrado pela CRT, seria acrescido do 70 quilômetros da Rodovia Rafhael de Almeida Magalhães, o Arco Metropolitano, que vai de Saracuruna a Itaguaí, que ganharia um posto de cobrança de pedágio.

Segundo o ministro Tarcísio Gomes de Freitas, o novo modelo de concessão para a Rodovia Presidente Dutra incluirá a construção de mais 30 quilômetros de vias marginais em território fluminense, pistas para que motoristas possam trafegar sem pagar tarifas. Já nas vias expressas nas regiões metropolitanas do Rio e de São Paulo, vai vigorar o sistema free flow, método de cobrança sem cabines de pedágio.

Envie seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.