Saúde de Guapimirim paga mais caro pelo kit exame do coronavírus

Enquanto os municípios de Queimados e Japeri compraram 10 mil unidades por R$ 1.950 milhão, a Prefeitura da “Terra do Dedo de Deus” aceitou pagar R$ 2.250 milhões pela mesma quantidade

A empresa Estevia Distribuidora consta como sediada nesta rua do bairro Coelho da Rocha, em São João de Meriti

Em maio as prefeituras de Queimados e Japeri compraram 10 mil kits para o teste rápido da covid-19. Embora contratassem empresas diferentes o preço homologado foi o mesmo, o valor global de R$ 1.950 milhão, R$ 195 por unidade. No mesmo mês a Secretaria de Saúde de Guapimirim homologou a compra da mesma quantidade de kits para testagem rápida, mas pelo total de R$ 2.250 milhões, optando por pagar R$ 225 por cada um, uma diferença para cima de exatos R$ 300 mil, conforme revela o extrato de um contrato por dispensa de licitação firmado no dia 5 daquele mês com a empresa Estevia Distribuidora de Medicamentos.

A aquisição feita pela Prefeitura de Queimados se deu através da Orthomedical Comercio de Material Hospitalar, localizada na Barra da Tijuca e a Secretaria de Saúde de Japeri optou pela  XSM Distribuidora Medical, com sede no interior do estado, no município de Lage de Muriaé, que mesmo sediada mais distante, vende mais barato que a Estevia, que consta como baseada na Rua Domingos Lemos, 160, Lote 12, no bairro Coelho da Rocha, em São João de Meriti.

A emergencial de Queimados custou R$ 300 mil menos, apesar da mesma quantidade

Conforme foi noticiado ontem na matéria Compras emergenciais feitas pela Secretaria de Saúde de Guapimirim serão alvo de devassa: TCE aponta falta de transparência, em nome do enfrentamento da covid-19 a Prefeitura de Guapimirim já fez compras emergenciais com valor global de mais de R$ 4 milhões, com o Tribunal de Contas do Estado apontando falta de transparência. Também  está sendo apontado sobrepreço em pelo menos dois contratos, os firmados com as empresas Primer Comercial & Distribuição e Carioca Medicamentos.

O contrato com a Primer  é de R$ 723.333 mil, enquanto a Carioca Medicamentos divide com a empresa Sogamax uma dispensa de licitação no total de R$ 1.014 milhão, ficando a Carioca com R$ 779.600 e a Sogamax com R$ 234.500.

O espaço está aberto para manifestação da Prefeitura de Guapimirim.

Envie seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.