Prefeitura de Magé contratou R$ 5,3 milhões em cestas básicas para os servidores sem informar a quantidade licitada e preço unitário

Elizeu Pires

Há uma semana que o prefeito de Magé, Renato Cozzolino Harb (PP) vem reclamando da situação encontrada em alguns setores da administração municipal, mas pelo menos com cesta básica para distribuir aos servidores – que não receberam o mês de dezembro nem o 13º salário – ele não precisaria se preocupar. É que o deverá imaginar quem estiver lendo essa matéria, que dá conta de um contrato no valor e R$ 5,3 milhões para aquisição de cestas, que ainda tem cerca de seis meses de validade.

O detalhe é que não dá para saber quantas unidades foram licitadas, muito menos o valor unitário, pois a exemplo de outros contratos firmados até o ano passado pela Prefeitura, sobre o de numero 045/2020 só se acha um extrato com valor global e outro mais limitado ainda referente a ata de registros de preços.

Conforme mostra o documento acima, no dia 26 de maio de 2020 foi homologado em favor da empresa BMP Comércio de Produtos pela Secretaria de Infraestrutura, o Contrato 045, com valor global de exatamente R$ 5.360.400,00, tendo como objeto a “aquisição de cestas básicas aos servidores municipais”, e validade de 12 meses.

Documentos disponíveis nos links abaixo apontam que a empresa fornece ao município desde 2018 e teria recebido um total de R$ 7,5 milhões em três anos. Teriam sido R% 1.781.514.02 em 2018, R$ 2.742.796,03 em 2019 e R$ 3.005.047,40 no ano passado.

*O espaço está aberto para manifestação dos servidores.

Documentos relacionados:

Cesta básica 2018

Cesta básica 2019

Cesta básica 2020

Comentários:

Envie seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.