Caixa de Casimiro de Abreu está cheio. Mas cadê as obras, prefeito?

Repasses constitucionais foram somaram cinco vezes mais que o total do mesmo mês em 2021

● Elizeu Pires

Ramon não pode se queixar: Depois de um 2021 com mais dinheiro que 2020, 2022 começou com mais recursos ainda – Foto: Divulgação/PMCA

O prefeito de Casimiro de Abreu, Ramon Dias Gidalte, definitivamente não pode alegar falta de dinheiro para justificar a inércia de sua gestão, porque de recursos financeiros – a julgar pelos números do Demonstrativo de Distribuição da Arrecadação, ferramenta do Sistema de Informações Banco do Brasil (SISBB) -, as contas bancárias da Prefeitura do município que tem cerca de 45 mil habitantes, estão cheias, faltando apenas, de acordo com o que reclama por lá, “uma boa administração para as coisas começarem acontecer”.

Só de royalties a Prefeitura de Casimiro de Abreu recebeu mais de R4 51 milhões em Janeiro

Segundo o SISBB, os repasses constitucionais feitos ao município em janeiro deste ano foram mais de cinco vezes superiores ao recebido no mesmo mês em 2021, quando a Prefeitura recebeu R$ 11.333.858,50, sendo R$ 5.371.623,82 de royalties pagos pela Agência Nacional do Petróleo (ANP). Mostra o sistema que os repasses de janeiro de 2022 somaram R$ 58.929.309,27, R$ 51.952.065,79 só de royalties.

Conforme o elizeupires.com já revelou, em 2021 os repasses constitucionais superaram em R$ 62,4 milhões as transferências recebidas em 2020, último ano da gestão do prefeito Paulo Dames. No ano passado os repasses somaram R$ 184,7 milhões, enquanto no ano anterior a soma foi de R$ 122,3 milhões.

*O espaço está aberto para manifestação da Prefeitura de Casimiro de Abreu.

Documento relado:

Comprovante de repasses

Matéria relacionada:

Mais dinheiro em caixa não significaria nada em Casimiro de Abreu

Envie seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.