Casimiro de Abreu: Pais de alunos reclamam da ‘inutilidade’ dos tabletes comprados às presas pela Prefeitura por R$ 7,6 milhões

● Elizeu Pires

O prefeito Ramon Gidalte transformou a entrega em evento promocional de seu governo, mas não assume que gastou R$ 7,6 milhões comprando equipamentos sem uso definido, o que para os mais atentos, “é desperdício de dinheiro público”

Passados quase seis meses da compra apressada de R$ 7,6 milhões em tablets pela Prefeitura de Casimiro de Abreu, a Secretaria Municipal de Educação ainda não implantou o uso dos dispositivos em salas de aula. A reclamação é de pais de alunos, que revelam que seus filhos ainda não usaram os aparelhos na escola um dia sequer, até porque muitas das unidades de ensino não contam com rede de wi-fi, o que significa dizer que a gestão do prefeito Ramon Gidalte priorizou a compra à instalação de uma rede de internet que realmente funcione.

Para alguns pais de alunos, a compra dos aparelhos representa um desperdício de dinheiro público, pois eles foram entregues sem programas educacionais e alguns teriam vindo com defeito. Sem uma utilização definida pela Secretaria de Educação, os tablets comprados ao custo unitário de R$ 1.209,00, estão sendo usados pelas crianças paga jogar e assistir vídeos.

Conforme o elizeupires.com revelou em série de matérias iniciadas em 5 de janeiro, a Prefeitura comprou 6.295 tablets para uso dos alunos da rede municipal de ensino, pagando o total R$ 7.610.655,00. A compra foi feita sem licitação junto à empresa Agira Tecnologia Comércio e Serviços, sediada em Belo Horizonte, através da adesão de uma ata de registro de preços da Prefeitura de Angra dos Reis.

A compra foi homologada no dia 28 de dezembro e dois dias depois o prefeito Ramon Gidalte autorizou o pagamento de R$ 2.133.885,00, valor referente a 1.765 aparelhos. Em fevereiro a empresa recebeu mais R$ 5.476.770,00, por mais 4.530 dispositivos.

*O espaço está aberto para manifestação da Prefeitura.

Matérias relacionadas:

Casimiro de Abreu: Tablet no varejo sai mais barato que o comprado por atacado pela gestão do prefeito Ramon Gidalte

Casimiro de Abreu: Comunicação da Prefeitura alega uma coisa sob os tablets comprados, mas documento oficial revela outra

Casimiro de Abreu: Compra de tablets sem licitação chegou a R$ 7,6 milhões com direito a pagamento relâmpago

Envie seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.