Prefeito de Magé defende investigação sobre pedágio do tráfico

Rafael Tubarão diz que não precisa pagar para entrar nos bairros da cidade

“Sou filho de Magé. Nasci, fui criado e vivo no município, por ande ano tranquilamente. Durante a campanha percorri todos os bairros sem pagar taxa alguma”. A afirmação é do prefeito Rafael Santos de Souza, o Rafael Tubarão (PPS), que foi surpreendido nesta quarta-feira com a notícia de que o nome dele teria sido citado por um suposto traficante de drogas, afirmando que teria sido pago um “pedágio” de R$ 9 mil para que ele pudesse entrar durante a campanha eleitoral nas comunidades Maringá, Saco, Lagoa e Fonte, localizadas no primeiro distrito de Magé. Rafael disse ainda que está à disposição das autoridades e que espera que as investigações se aprofundem, para que tudo possa ser esclarecido. “Estou muito tranquilo quanto a isso. Não sei por que meu nome surgiu nessa história. O que sei é que não paguei um centavo a ninguém para ter acesso a lugar algum”, completou.

Na manhã de hoje agentes do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público fizeram uma operação na cidade para prender bandidos que controlam o tráfico de drogas em Magé. A ação é resultado de investigações iniciadas em maio. De acordo com o MP, políticos eram obrigados a pagar pedágio para poderem entrar e pedir votos nas favelas.

Comentários:

  1. Que seja muito apurado tudo isso, mas Magé tem tudo para começar “a parecer mais bem resolvidinha”; em comparação, é claro, a outros municípios da região e até deste estado; tantas prefeituras atualmente mais (re-re-)bagunçadas “do que nunca”…

Deixe uma resposta para RMRJ Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.