Belford Roxo parte para intimidação, mas greve continua

Prefeito ameaça cortar ponto de professores que cobram salários em atraso

Visivelmente atordoado com a determinação dos professores em só retornarem às salas de aula depois que o governo apresentar uma proposta de pagamento dos salários em atraso e do décimo terceiro que atenda à categoria, o prefeito de Belford Roxo, Wagner dos Santos Carneiro, o Waguinho (foto), resolveu partir para a intimidação, ameaçando dar como falta os dias parados. O alerta foi passado a título de orientação às diretoras das escolas, todas nomeadas em cargo em comissão. A determinação é de cortar o ponto dos que não comparecerem ao trabalho. Posicionando-se de forma ditatorial, o prefeito tem se negado a dialogar com os professores e decidiu impor, por decreto, um parcelamento em 12 vezes. Waguinho parece não estar sendo bem orientado pelos procuradores do município, pois o direito à greve é assegurado pela Constituição e os dias não trabalhados só podem ser descontados se a Justiça decretar a ilegalidade do movimento. Se a intenção era a de causar medo o efeito não foi atingido, pois os professores não se intimidaram e optaram por manter a paralisação.

O prefeito tem alegado não haver recursos financeiros para fazer o pagamento dos atrasados de outra forma, mas no caso dos professores ele não pode afirmar isto, pois o dinheiro da remuneração dos profissionais de ensino é garantido pelos repasses do Fundeb, que nunca atrasam e chegam em volume suficiente para cobrir a folha da Educação. Os repasses de novembro e dezembro, por exemplo, passaram de R$ 24 milhões e os créditos de janeiro foram de mais de R$ 12 milhões. Este mês a Prefeitura de Belford Roxo já recebeu R$ 5.167.152,83 do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, sendo R$ 1.929.323,57 no dia 7, R$ 991.888,93 no dia 10 e R$ 2.245.940,33 durante o expediente de ontem (14).

A relação do hoje prefeito com os servidores tem sido conturbada desde a época em que ele presidiu a Câmara de Vereadores, período em que um concurso público realizado pela Casa gerou muita polêmica. Waguinho foi citado em um esquema de empréstimos consignados feitos em nome de funcionários e quitados com recursos públicos. Isto veio à tona em 2013, com a divulgação de uma auditoria do Tribunal de Contas do Estado, que constatou um rombo de R$ 5 milhões nas contas do Poder Legislativo no período em que a Câmara fora presidida por ele e pelo ex-vereador Reginaldo Gomes.

De acordo com levantamento feito por auditores do TCE, os dois presidentes teriam realizado pagamentos de incorporações de cargo de confiança de maneira irregular e quitado empréstimos bancários com dinheiro do povo. A auditoria foi concluída no dia 28 de novembro e na época o conselheiro Jonas Lopes de Carvalho Junior afirmou ser o fato “estarrecedor” e disse nunca havia deparado com fraude parecida.

As irregularidades começaram a aparecer quando o TCE iniciou a apuração de denúncias de fraudes no concurso realizado pela Câmara e sobre irregularidades nos descontos de parcelas em empréstimos consignados na folha de pagamento dos servidores. Foi constatado ainda que dez vereadores que cumpriram mandato de janeiro de 2009 a 31 de dezembro de 2012 receberam dinheiro de forma irregular e teriam de devolver o total aos cofres públicos. Em dezembro de R$ 2013 o TCE condenou os dois ex-presidentes a recolher dinheiro aos cofres da municipalidade. No caso de Waguinho o ressarcimento seria de R$ 400.323,09, e Reginaldo Gomes teria de devolver R$ 424.290,96 (valores da época), mas ainda não há nenhuma informação de que os valores foram devolvidos.

*Matéria atualizada às 11:37 do dia 15 de fevereiro de 2013

 

Matéria relacionada:

Rombo de R$ 5 milhões na Câmara de Belford Roxo

Comentários:

  1. Verdadeira quadrilha.
    Mas com tantas informações documentadas porque o ministério público não age?
    O que se precisa mais? Será que vão esperar virar um Sérgio Cabral da vida?
    Pra que serve o TEC afinal, já que descobrem essas coisas e nada acontece?
    O Brasil não tem mais jeito infelizmente….

  2. Bom dia… sou professora do município,e gostaria e fazer uma proposta ao SENHOR prefeito …que ele entre em sala de aula, aplique aulas para os alunos,é receba o salário que nós recebemos, mas não no dia correto e sim com atraso, ahhh … ainda mais, limpe as salas, faça merenda,e não beba água ,pois nas escolas não ha bebedoros, e outras situação precária pela quais passamos…
    E caso a prefeituta não tens dinheiro para pagar… ele continue trabalhando e graça…. talvez assim ,ele PREFEITO entenda o que passamos.

  3. Este governo é contraditório ao extremo. A fala dos novos representantes da Secretaria de Educação e que não haveria nomeação para diretores de quem não tivesse matrícula, entretanto vários diretores que não possuem vinculo com a prefeitura estao ocupando cadeiras. Diretores que quiserem continuar com seu carguinho ganhando comissão de miséria tem que fazer jogo sujo e furar greve.

  4. Eu tenho andsdo muito triste e decepcionada com a atual situaçao que estamos vivendo . Voce estuda, se edforça, faz um concurso ,e vinte anos depois somos tratados como coisas descartaveis pelos politicos e aqueles que teem o dever de zelar por sua integridade.Querem exterminar com o funcionalismo publico como se fossemos lixo sem nenhuma serventia. E muito doloroso esse tipo de crueldade. So podemos contar com.a misericordia divina.

Deixe uma resposta para Ana dos S.B.Monteiro Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.