Macaé: condenação por porte ilegal de arma deixa vereador inelegível e perda de mandato já deveria ter ocorrido

Condenado por porte ilegal de fogo pelo juízo da 1ª Vara Criminal de Macaé, o vereador Cristiano de Almeida Silveira, o Cristiano Gelinho (foto), teve a sentença confirmada pela 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça em decisão tomada há mais de um ano. Como o processo já transitou em julgado ele já deveria ter sido afastado do cargo e iniciado o cumprimento da pena de dois anos de reclusão em regime aberto. Inclusive, no último dia 5 a juíza Priscila Macuco Ferreira deu prazo de cinco dias para que a defesa de Gelinho o apresentasse em cartório para que ele fosse notificado sobre o início do cumprimento da sentença.

Pelo que consta da ação, o vereador perdeu o recurso impetrado no Tribunal de Justiça e perdeu o prazo para recorrer em instância superior. Ele foi flagrado no dia 31 de outubro de 2014 com uma pistola Glock, municiada com 15 balas, no porta-luvas do carro que conduzia, sem ter autorização para tal.

Primeiro suplente da coligação PTC-PHS, Cristiano de Almeida Silveira assumiu o mandato no dia 1º de agosto de 2018, ocupando a cadeira deixada por José Queiroz dos Santos Neto, afastado por decisão judicial. Mais conhecido como Neto, José Queiroz foi preso no dia 27 de fevereiro de 2018, sob a acusação de ficar com parte dos salários de assessores nomeados em seu gabinete e de indicados para ocupar cargos de confiança na Prefeitura.

Comentários:

Deixe uma resposta para José Carlos Vieira Mota Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.