Itatiaia: MP pede a Justiça bloqueio de bens de Dudu e Jabá

Atos de campanha com aglomeração estão proibidos na cidade

Apesar dos riscos de contaminação pelo novo corona vírus Dudu e Jabá promoveram ato de campanha com aglomeração, aponta o MP

A 1ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva (Núcleo de Resende) ajuizou uma ação civil pública “por atos de improbidade administrativa” contra o  prefeito de Itatiaia, Eduardo Gudes, o Dudu, e contra o ex-vereador Sebastião Mantovani, mais conhecido na cidade como Jabá, candidato a vice-prefeito na chapa de Dudu, o que pode ser conferido aqui.

No processo o Ministério Público pede a indisponibilidade de bens dos dois. Eles são responsabilizados por exporem a população a risco de contaminação pelo novo coronavirus ao promoverem, no último dia 18, uma passeata que provocou aglomeração de pessoas, “em flagrante desrespeito às normas sanitárias vigentes de prevenção à Covid-19”.

Além do bloqueio dos bens, o MP pede a condenação dos dois a perda dos cargos, suspensão dos direitos políticos, proibição de contratar com o poder público ou receber benefícios ou incentivos fiscais, o Ministério Público requereu pagamento de multa civil no valor de 100 vezes a remuneração correspondente às funções de prefeito e vice, valor calculado em R$1,9 milhão no caso de Eduardo e  R$1,3 milhão  em relação a Jabá.

A ação foi ajuizada ontem (28)na Vara Única da cidade, mas um dia antes o juízo da 198ª Zona Eleitoral acatou pedido do MP e proibiu a realização de atos de campanha que gerem aglomeração. O pedido do Ministério Público foi por conta da passeata realizada por Dudu e Jabá no dia 18 de outubro.

*O espaço está aberta para manifestação dos citados na matéria.

Comentários:

    1. O site elizeupires.com é um espaço jornalístico e não um fake de rede social. Temos responsabilidade com o que veiculamos. Seu questionamento chega a ser uma ofensa a verdade.

Envie seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.