Itaguaí e Magé vão empossar amanhã os prefeitos menos votados da história da Baixada Fluminense: Rubão teve 17,72% da votação e Renato 27,13%

Elizeu Pires

Então presidente da Câmara de Vereadores de Itaguaí, Rubem Vieira de Souza (Podemos), assumiu a Prefeitura em julho do ano passado, após a cassação do prefeito Carlo Busatto Junior, e do vice Abeilard Goulard Filho, e vai permanecer no cargo, eleito que foi no dia 15 de novembro. Rubão, como o político é mais conhecido na cidade, concorreu com 13 candidatos e a pulverização dos votos lhe conferiu o título de prefeito eleito menos votados da história do município e de toda a Baixada Fluminense.

De acordo com os números oficiais da Justiça Eleitoral, 70.175 votantes foram às urnas em Itaguaí nas eleições municipais de 2020, e 11.341 optaram por Rubem, conferindo a ele 17,72% da votação válida. Ainda segundo os números oficiais, é de Magé o segundo prefeito eleito menos votado da história local e da região: Renato Cozzolino Harb (PP), conquistou 27,13% dos votos válidos, tendo obtido este ano menos votos que em 2016, quando ele perdeu para Rafael Santos de Souza, o Rafael Tubarão.

Segundo os dados oficiais, este ano 150.382 eleitores foram às urnas em Magé, sendo que 36.478 votaram em Renato Cozzolino Harb, exatos 27,13% da votação válida, resultado inferior ao de 2016, quando Cozzolino – que no pleito de 2020 concorreu com cinco candidatos – somou 41.443 votos, total correspondente a 32,49%.

Mais números Se Rubão e Cozzolino são os menos votados, Wagner dos Santos Carneiro, o Waguinho, e Jorge Miranda foram os campeões de votos este ano. Waguinho é o primeiro prefeito reeleito da história de Belford Roxo, e somou, logo no primeiro turno, 80,40%, enquanto Miranda mantém-se no poder em Mesquita com 78,63% da votação nominal.

A soma dos votos feita pela Justiça Eleitoral mostra números de votações que podem ser classificadas como excelente, ótima, boa, regular ou ruim, mas que, independente do percentual, foram suficientes para garantir reeleições e eleições.

Professor Lucas, por exemplo, foi eleito em Seropédica com 66,01%, Rogério Lisboa reeleito em Nova Iguaçu no primeiro turno, com 62,10% e Dr. João mantido em São João de Meriti com 56,83%. Depois vem Washington Reis em Duque de Caxias, 52,55%; Lucimar Ferreira em Paracambi, 52,23%; Abrãozinho David em Nilópolis, 48,97%; Marina Rocha em Guapimirim, 48,71%; Fernanda Ontiveros, Guapimirim, 38,52% e Glauco Kaizer, Queimados, com 28,83%.

Envie seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.