Itatiaia: Grupo de Dudu crê na continuidade com possível vitória em eleição suplementar e vê “fraqueza” em quem era tido como maior adversário

Elizeu Pires

Dos 11 vereadores eleitos em Itatiaia no dia 15 de novembro do ano passado, Imberê Moreira Alves (foto) , do PRTB, foi o sétimo mais votado. Foram 588 conferidos a um candidato sem a mínima pretensão de governar a cidade. Escolhido para presidir a Câmara Municipal, é ele quem está exercendo o mandato de prefeito, já que o reeleito Eduardo Guedes foi impugnado pela Justiça. Se não pensava em ser prefeito antes, Imberê, forma sincopada de Aimberê – termo tupi-guarani que significa “aquele que se contorce” – deverá ser o candidato do grupo de Guedes na eleição suplementar que acontecerá em data ainda a ser marcada pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro.

Dudu, como Eduardo Guedes é mais conhecido na cidade, teve o registro impugnado e já perdeu todos os recursos impetrados na tentativa de reverter a situação, mas quem pensa que ele está morto engana-se redondamente: Eduardo Guedes ainda lidera o grupo político mais forte do município, e, de acordo com uma liderança local, essa força deverá convergir para alavancar o nome de Imberê, que, afirma a fonte, só não será candidato no pleito suplementar se não quiser.

Para alguns observadores mais atentos, quem seria o adversário mais forte não demonstrou força suficiente. Referem-se ao empresário Irineu Nogueira, que concorreu a prefeito pelo PTB, ficando em segundo lugar com 29,52% dos votos. “A impressão que se teve é a de que Irineu não teve fôlego para chegar ao final. Parece que ele reduziu a velocidade quando tinha de acelerar. A campanha dele mostrou-se emperrada nos últimos dias, o que irritou alguns de seus apoiadores e desanimou o grupo dele”, avalia um deles.

Para quem entende do riscado, a vitória de Dudu nas urnas (44,37%) é maior do que mostra o resultado das urnas, porque ele enfrentou cinco candidatos e a informação amplamente divulgada de que estava impugnado e não assumiria se vencesse a eleição, o que te fato ocorreu. “Diante disso há que se respeitar o homem (Dudu), que poderá ser o maior cabo eleitoral na eleição suplementar. Quem tiver o apoio dele – e tudo leva a crer que venha a ser Imberê –, somará a isso a vantagem de conhecer o tamanho dos adversários e de saber que quem era visto como maior concorrente não é isso tudo que se pensava”, conclui.

Envie seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.