Antonio Marcos admite derrota no voto

Antonio Marcos admite que seu candidato terá menos voto que Paulo Dames que, a exemplo de Wagner Heringer, está com o registro indeferido. Na verdade o atual prefeito quer ganhar no tapetão a partida que já vê como perdida em campo

O prefeito de Casimiro de Abreu acredita que decisão deverá ser mesmo no “tapetão”

A votação em todo o Brasil vai começar às 8h e encerrar às 17h do próximo domingo, mas quando a maioria dos municípios já estiver sabendo quem governará a partir de janeiro, em Casimiro de Abreu, se confirmados os números das pesquisas eleitorais e o Tribunal Superior Eleitoral não julgar antes do pleito o recurso impetrado pelo candidato do PSB, a disputa deverá estender-se um pouco mais, com um “segundo turno” no tapetão do TSE. Pelo menos é isto o que tem sido falado nos bastidores da campanha do candidato do governo. 

 

Principal apoiador do candidato Fábio Kiffer, o prefeito Antonio Marcos Lemos já reconhece entre os seus aliados que o ex-prefeito Paulo Dames deverá ter mais votos que o seu afilhado político, admitindo a fragilidade do seu escolhido diante do ex-prefeito, que concorre sub judice, já que seu registro de candidatura foi barrado pelo Tribunal Regional Eleitoral. Como o candidato do PR – o empresário Wagner Heringer – está em situação semelhante a de Dames, Antonio Marcos estaria mesmo é apostando suas fichas na disputa jurídica, no jogo a ser jogado no tapetão.

De acordo com resolução do TSE, o candidato a cargo eletivo que concorre com a condição “indeferido com recurso”, caso de Paulo Dames e Wagner Heringer, pode permanecer em campanha e ser votado normalmente, mas os votos a ele conferidos só são validados depois que a Justiça deferir o registro de candidatura em definitivo, quando não couber mais recurso no processo. É deste entendimento que o prefeito Antonio Marcos tem se aproveitado para dizer nas ruas que o eleitor estaria jogando voto fora se optar pelos que disputam com recurso, o que pode não ocorrer. Além do mais, quem vai decidir se o indeferimento permanece ou não é a Justiça e não o atual prefeito.

Envie seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.