E o vale tudo já começou em Magé

No município de Magé, onde a esperança se depara com o medo, a disputa ganha atenção especial das autoridades

Desespero põe fogo na campanha. Lema é vencer a todo custo a eleição da vida do clã que esteve no poder por quase duas décadas e dele foi retirado pela força da Justiça

O alerta vermelho acendeu no quartel general da campanha do candidato a prefeito de Magé pelo PR, Renato Cozzolino Harb e a ordem, segundo membros do grupo, “é partir para cima dos adversários”, reunir esforços para tentar vencer a disputa eleitoral que pode ser a da vida do clã que deteve o poder por cerca de 20 anos e dele foi retirado pela Justiça. O vale tudo já ganhou as ruas do município e nesta semana aconteceram confrontos nada amistosos em Fragoso, Piabetá e Surui. Nesta última localidade quem estava ao microfone era a mãe do candidato, a ex-deputada Jane Cozzolino, que até dia desses se encontrava foragida da Justiça, que havia decretado a prisão preventiva dela. Em Suruí os gritos estridentes eram de ataque e não de propostas. Ela também falava de uma pesquisa de intenção de votos atribuída ao IBPS, cujo resultado não foi veiculado por nenhum órgão de imprensa e nem mesmo pelo próprio instituto em seu site, página oficial na qual estão disponibilizados relatórios completos de consultas de intenção de votos feitas no Rio, São Gonçalo, Nova Iguaçu e Nilópolis, não fazendo qualquer menção ao município de Magé.  Para que os eleitores se sintam mais seguros a Justiça Eleitoral pediu a presença da Força Nacional de Segurança, que estará atuando no município.

A exemplo do que aconteceu na eleição suplementar de 2011, as autoridades estão com os olhos e seus instrumentos voltados para Magé exatamente para que o vale tudo e o vencer a todo custo não ultrapassem os limites da lei. A boca de urna será rigorosamente combatida e quem for pego nessa prática será autuado em flagrante por crime eleitoral. Além disso, no caso da compra de votos a autuação será de tanto quem compra como de quem vende, pois estão cometendo crime os que compram e os que vendem votos. O transporte de eleitores também será combatido e as estações de distribuição de energia elétrica serão monitoradas para que acidentes não venham prejudicar a votação eletrônica.

De acordo com resolução Tribunal Superior Eleitoral, a campanha propriamente dita determina sábado às 22h. Hoje é o ultimo dia para realização de comício e apresentação no horário gratuito de rádio e de televisão. Na sexta-feira e no sábado poderão ser realizadas reuniões com as equipes de trabalho, assim como carreatas, caminhadas e uso de carros de som (no máximo até às 22h). Os carros podem permanecer adesivados até o dia da eleição, mas a panfletagem só será permitida até sábado. No domingo, quem for pego distribuindo propaganda de candidatos será detido e autuado na Delegacia Policial mais próxima por prática de crime eleitoral.

Matérias relacionadas:

Magé volta a viver entre a esperança e o medo

Voto a R$ 100 em Nova Iguaçu

Pobreza sustenta maus políticos na Baixada Fluminense

Comentários:

  1. A coisa está feia. La em Fragoso Nubia e irmãos cercaram a Sandra do Sindicato aos gritos, com muita ofensa. Sõ não aconteceu o pior porque a população se juntou perto dela. Isso é desespero.

  2. [quote name=”Estudantes”]Tendenciosa sua reportagem! Isso não é jornalismo![/quote]
    Sempre vai ter um Cozzolino ou um seguidor deles contestando alguma, ignorando a verdade dos fatos.

  3. [quote name=”Estudantes”]Tendenciosa sua reportagem! Isso não é jornalismo![/quote]
    Desde quando opinião de quem defende ou segue Cozzolino tem alguma importância? Essa família tem é que meter o pé de Magé.

Deixe uma resposta para Cruz Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.