“Novo jeito de governar” não livra Iguaba de inundação e asfalto da principal obra da Prefeitura não aguentou o tranco

Quem lê a última notícia, publicada na manhã de ontem (21),  no site da Prefeitura de Iguaba Grande (www.iguaba.rj.gov.br), na Região dos Lagos, nem imagina que, neste momento, a cidade está debaixo d’água, com pessoas desabrigadas e precisando de todo tipo de ajuda.  A notícia convida para uma audiência pública sobre metas fiscais da Prefeitura. Nenhuma linha sobre desabrigados, as vias que estão interditadas pela chuva e que o asfalto cedeu na principal obra que a municipalidade estava fazendo, na Estrada da Capivara. Não adianta tentar se informar através da página oficial da Prefeitura no Facebook: ela está fora do ar há dias.

A tentativa de desinformação – ou de incompetência mesmo – entretanto, não escapa das lentes dos smartphones.  É através de comunidades no Facebook da cidade, como a página Notícias de Iguaba, Iguaba em Foco, Iguaba Zoação, entre outros, que os 29 mil moradores do pequeno município, conhecida como Princesinha da Região dos Lagos, estão conseguindo se informar sobre a quantidade de desabrigados e serem alertados sobre as condições de segurança nas ruas. E as notícias não são nada boas.

Além das pessoas que perderam bens e víveres, a chuva também destruiu boa parte das obras de pavimentação asfáltica recém-inauguradas pela prefeitura, na estrada da Capivara, uma via de 2,2 km que corta quatro bairros. Esse era o principal troféu que o atual prefeito, Vantoil Martins (Cidadania), pretendia levar para a campanha de reeleição. Porém, como muitos já desconfiavam , tratava-se de mais uma obra eleitoreira: boa parte do que já estava feito foi destruído pela chuva, revelando um asfalto de menos de três centímetros de espessura.

Além disso, como a obra estava sendo feita sem o devido sistema de drenagem (conforme denunciado por entidades como o Viva a Lagoa), ela impediu o escoamento da água, de modo que a própria prefeitura se viu obrigada a mandar uma retroescavadeira destruir a obra para deixar a água passar.

A falta de manutenção dos bueiros ficou evidente:  em poucas horas de chuva, toda a cidade, inclusive o Centro, ficou intransitável, na maior enchente registrada nos últimos 20 anos, segundo relatos dos moradores.

Literalmente,  caiu a máscara do prefeito, que se elegeu em 2019 prometendo fazer um amplo plano de saneamento e pavimentação para cidade, garantindo inclusive que já  tinha emendas parlamentares para tal.

O “novo jeito de governar do prefeito” – slogan adotado por ele – no entanto, tem se notabilizado muito mais pelo marketing do que pela ação. Com uma folha inchada de funcionários comissionados –  40% a mais que o governo anterior – e sem obras para inaugurar, Vantoil passou inaugurar pintura de prédios públicos na cor cinza e verde – cores da sua campanha –, a ponto de ser  proibido pela Justiça de usar o verde e sua campanha (a cor esse ano será azul).

Também encheu a cidade de quebra-molas sem padronização de altura e critérios técnicos de localização. Enquanto isso, Iguaba permanece sem nenhum semáforo em seu perímetro urbano.

Em agosto, a Justiça mandou a Prefeitura atualizar o portal da Transparência, que estava desde março de 2020, no início da pandemia, fora do ar. Vantoil usou  tanto das redes sociais da Prefeitura que a Justiça também mandou que fosse apagado da página oficial todas as publicações exaltando o alcaide. Eram tantas que a Comunicação achou melhor, então, tirar a página do ar. 

Assim, os iguabenses ficaram sem uma importante fonte de informação de utilidade pública. Sequer têm o direito de saber qual o número exato de mortos pelo Covid-19 na cidade. No último sábado (19), colunista Berenice Seara, do jornal Extra (Grupo Globo), revelou que Iguaba ostenta o triste recorde de óbitos por Covid por 100 mil habitantes da Região Lagos. A média de Iguaba é mais que o dobro das outras cinco cidades da região, segundo o balanço do Ministério da Saúde. É muita coisa para se esconder.

*O espaço está aberto para manifestação da Prefeitura de Iguaba Grande.

*Matéria atualizada às 22:27 do dia 22 de setembro de 2020.

Comentários:

  1. Realmente, não temos como obter informações confiáveis vindas daqui. O RC24h esta na folha de pagamento, a rádio local pertence ao pai de um vereador da situação, ainda bem que tem imprensa de fora dando notícia de Iguaba. Porque aqui tudo comprado.

Deixe uma resposta para Ana silva Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.