Presidente da Câmara de Silva Jardim admite falta de transparência e responde questionamento com ironia

Elizeu Pires

Alguém precisa dizer ao vereador Henrique Gouveia (foto), presidente da Câmara Municipal de Silva Jardim - minúscula cidade do interior do estado do Rio de Janeiro-, que ele não está acima da lei, e que tem sim que dar satisfação dos atos praticados pela mesa diretora da Casa e do gasto do dinheiro público, disponibilizando em site oficial os dados para que o cidadão interessado possa fazer o controle social, garantido a toda e qualquer pessoa por força de lei.

Claudio Castro recebe visita de Bolsonaro quatro dias após posse como governador do Rio

Em meio aos trabalhos da CPI da Covid, iniciados nesta semana no Senado, o presidente Jair Bolsonaro esteve no Rio nesta quarta-feira (5), para visitar o governador Cláudio Castro (PSC). Efetivado no cargo no último fim de semana, após o impeachment de Wilson Witzel (PSC), Castro é um dos poucos mandatários estaduais tidos como aliados do presidente.

Bolsonaro chegou ao Palácio Laranjeiras, residência oficial do governo estadual, por volta das 16h35. Alguns vizinhos chegaram a bater panelas quando o comboio subiu a rua. Os dois tiveram uma reunião fechada à imprensa e não deram declarações na saída. Durante a pandemia, o ex-interino vem se equilibrando entre a lealdade ao presidente e a adoção de algumas medidas restritivas para o combate à pandemia. Em alguns momentos, contudo, foi criticado, como na vez em que deu uma festa de aniversário com aglomeração na região serrana do Rio.

Por unanimidade, Tribunal Especial Misto cassa mandato de Witzel e o deixa inelegível por cinco anos

Wilson Witzel perdeu o cargo e os direitos políticos por cinco anos O Tribunal Especial Misto (TEM) - composto por cinco desembargadores e cinco deputados estaduais - julgou, por unanimidade, procedente a denúncia contra o governador do Estado do Rio de Janeiro Wilson Witzel por crime de responsabilidade. Com a decisão, Witzel perde o cargo de governador e fica inabilitado para o exercício de função pública. O presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) e do TEM, desembargador Henrique Carlos de Andrade Figueira, conduziu a sessão de julgamento que teve início nesta sexta-feira (30/4) por volta das 9h30 e durou mais de 10 horas.

O deputado estadual Waldeck Carneiro, relator do processo de impeachment do governador afastado do Estado do Rio de Janeiro Wilson Witzel, discorreu sobre a atuação do denunciado à frente do Poder Executivo e concluiu que houve crime de responsabilidade pela participação direta e efetiva de Witzel em relação à requalificação da OS Unir Saúde e à contratação da OS IABAS. “Acolho, integralmente a pretensão acusatória, ou seja, julgo procedente, em relação aos dois eixos da acusação, o pedido para condenar o réu à perda do cargo de governador do Estado do Rio de Janeiro e à inabilitação para o exercício de qualquer função pública pelo prazo de cinco anos, nos termos do artigo 4º, inciso V, do artigo 9, item 7, e do artigo 78, todos da Lei Federal nº 1.079, de 10 de abril de 1950”, declarou.

Alerj derruba autorização para o leilão da Cedae, mas governador desafia e diz que vai manter o pregão na Bolsa de São Paulo

Elizeu Pires

André Ceciliano denunciou ter recebido ameaças para tirar a matéria de pauta De nada adiantaram as pressões sobre os parlamentares. O decreto legislativo que suspende o leilão da Companhia Estadual de Águas e Esgoto (Cedae), foi derrubado nesta quinta-feira (29), por 35 votos a 24, placar que deixou claro que o governador em exercício Claudio Castro, não tem força suficiente na Casa e que os telefonemas do senador Flavio Bolsonaro e do próprio governador só fizeram efeito mesmo sobre a bancada bolsonarista. O resultado representa também a derrota do líder do governo, o deputado Marcio Pacheco que, na sessão de ontem (28), chegou a discutir com o presidente André Ceciliano, que revelou ter recebido ameaças do governador para que o decreto fosse retirado de pauta.

“Machões” que batem em mulher não poderão ocupar cargo público em Belford Roxo, determina projeto de lei protocolado na Câmara

Os registros policiais apontam Belford Roxo, na Baixada Fluminense, nas primeiras colocações do vergonhoso ranking da violência familiar, principalmente contra mulheres donas de casa. Se depender da vontade do vereador Daniel Silva de Lima, mais conhecido no município como Danielzinho, esses "machões" não poderão ser nomeados para cargos públicos no governo municipal nem na Câmara de Vereadores.

Projeto de lei nesse sentido foi protocolado por ele na Casa para ser levado à apreciação do plenário, composto por 23 homens e duas mulheres. Para o vereador, sua iniciativa é também um meio de fazer justiça às mulheres vitimas, muitas vezes, dos próprios companheiros.

Eleições suplementares de Itatiaia e Santa Maria Madalena poderão ser marcadas pelo TRE-RJ para julho ou 1º de agosto

Definidas antes para o dia 11 de abril e suspensas por conta da pandemia do novo coronavírus, as eleições suplementares de Itatiaia e Santa Maria Madalena, municípios do estado do Rio de Janeiro, poderão acontecer em 24 de julho ou 1º de agosto. A aposta é de advogados que representam os interessados em concorrer nos pleitos nos quais serão escolhidos prefeito e vice, que estão ansiosos pela campanha nas ruas. As duas cidades vem sendo governadas pelos presidentes das respectivas Câmaras de Vereadores, Imberê Moreira Alves e Nilson José Perdomo Costa desde o dia 1 de janeiro. A realização de novas eleições foi decidida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por conta da impugnação dos registros de candidaturas dos políticos mais votados no pleito de 15 de novembro de 2020, Eduardo Guedes, em Itatiaia, e Clementino da Conceição, em Santa Maria Madalena.

A decisão por novas eleições nas duas cidades aconteceram em meados de dezembro. No caso de Itatiaia, a corte acatou um recurso do Ministério Público Eleitoral (MPE) e confirmou a ilegalidade da candidatura do ex-prefeito Eduardo Guedes (PSC), que buscava um terceiro mandato consecutivo, o que é vedado pelo artigo 14 da Constituição Federal.

Itatiaia: Após sofrer mais uma goleada no TSE, Dudu estaria negociando passe para vestir camisa do time de Imberê

Elizeu Pires

O prefeito interino Imberê Moreira Alves era aliado de Dudu na campanha de 2020 e agora deverá receber o apoio do ex-governante na eleição suplementar Após sucessivas derrotas na tentativa de reaver, ainda que indiretamente, o controle administrativo de Itatiaia, o ex-prefeito Eduardo Guedes, o Dudu, estaria em negociação avançada com o prefeito interino Imberê Moreira depois de um racha de quase quatro meses entre os dois, desde que o presidente da Câmara colocou a mão na “caneta de ouro” da cidade do sul fluminense, objeto de desejo de Dudu.