Itatiaia: Ex-prefeito estaria usando variante Ômicron para espalhar boato de ‘cartada no TRE’ visando suspender nova eleição suplementar

● Elizeu Pires

O ex-prefeito de Itatiaia Eduardo Guedes, ao que parece, anda confundindo o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ) como uma espécie de despachante de luxo de seus devaneios. Pelo menos é o que garantem os frequentadores dos bastidores da política local, por onde Dudu estaria disseminando ter uma carta na manga junto à corte para utilizar da variante Ômicron da Covid 19 para nova suspensão da eleição suplementar, marcada para do dia 13 de março de 2022.

Denúncias sem provas mostram que políticos derrotados em Japeri ainda não desceram do palanque e estariam buscando um atalho até ao poder

Fernanda diz que está sendo alvo de denúncias infundadas A julgar pelo pronunciamento feito na tarde desta terça-feira (28) pela prefeita Fernanda Ontiveros (PDT), os políticos que perderam a disputa pela Prefeitura de Japeri, na Baixada Fluminense, não teriam se conformado com o resultado das urnas, e estariam tentando abrir uma espécie de atalho, mantendo o fogo do palanque acesso, mas usando como material inflamável, "denúncias vazias", como ela afirmou hoje em suas redes sociais: "Mais uma denúncia vazia, leviana e com o objetivo de manchar a minha imagem".

A prefeita se refere a uma denúncia feita pelo polêmico vereador Tiago da Silva Souza, mais conhecido como Tiago Careca, eleito pelo PSC, partido que lançou candidatura própria ao governo municipal e perdeu. Pelo que se comenta nos corredores do poder em Japeri, irritado pelo fato de seu candidato ter sido derrotado por Fernanda, Tiago estaria apelando para denúncias sem provas para criar um clima de instabilidade, provocar uma situação para tirar Ontiveros do cargo, e entregar o poder ao vice-prefeito Carlos Alberto Januário.

Japeri: Dois secretários poderão concorrer a deputado em 2022

Decisão será tomada até março

Francisco diz que não estava pensando em disputar um mandato agora, mas que se for apontado pela prefeita Fernanda Ontiveros não vai "fugir da raia" Com cerca de 120 mil habitantes e 75,5 mil eleitores, o município de Japeri, na Baixada Fluminense, sempre foi visto com uma espécie de "patinho feio" na região. Extremamente carente, tornou-se alvo fácil no período de eleições gerais, quando candidatos a deputado chegam de longe com discurso bonito, promessas vazias e bolsos cheios para remunerar o trabalho dos cabos eleitorais. Voto dado, vitória garantida nas urnas, os eleitos, acometidos de uma amnésia conveniente, metem o pé para voltarem quatro anos depois com os mesmos argumentos.

Itatiaia vira alvo de boato sobre suspensão de pleito suplementar, que está confirmado pelo TRE para o segundo domingo de março

● Elizeu Pires

A impressão nos meios políticos locais é de que determinado grupo se acha dono da Prefeitura A eleição suplementar de Itatiaia está confirmada para o dia 13 de março de 2022, quando, finalmente a pequena cidade do Sul Fluminense terá prefeito e vice-prefeito eleitos pelo povo, o que deveria ter acontecido no último dia 12 de setembro, quando o ex-prefeito Eduardo Guedes apostou suas últimas fichas numa liminar do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski, embora só conseguisse com isso tumultuar a vida do município.

Marrentos que se elegeram no PSL vão ter de entrar na fila do beija-mão para conseguirem vaga em outra legenda

● Elizeu Pires

A fila deve ser grande na porta de Waguinho A cara amarrada e os braços cruzados para fazer pose de mau, ao que tudo indica, não vão ajudar dessa vez. Foi assim que a bancada da cara feia chegou na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, com aquele discurso marcado por frases como "nós contra eles", "nova política" e "Deus acima de todos", que não fizeram efeito algum na Casa, mas agora seus integrantes terão de ser só sorrisos se quiserem continuar deputados por mais quatro anos.

Sem individualismo, lideranças políticas da Baixada convergem por indicação de vice-governador e candidatura própria ao Senado

● Elizeu Pires

Com cerca de quatro milhões de habitantes e mais de dois milhões de eleitores, a Baixada Fluminense deixou de ser o patinho feio aos olhos dos pré-candidatos ao governo estadual, e tem tudo para repetir 1986, quando o iguaçuano Francisco Amaral foi puxado para ser o vice de Moreira Franco. Hoje na mesa de apostas gira o nome do prefeito de Nova Iguaçu, Rogério Lisboa, que tem recebido piscadas de olhos de pelo menos três pretensos concorrentes ao Palácio Guanabara, entre eles o próprio governador Claudio Castro, que ontem (8) esteve em Duque de Caxias entregando várias obras e firmando novos compromissos. Porém, tem gente jogando suas fichas em Wagner dos Santos Carneiro, o Waguinho, que tem feito milagres em termos de realizações no tão anteriormente abandonado município de Belford Roxo.