Vereador de quatro mandatos deverá ser mesmo o candidato a prefeito da família David e do PSD em Nilópolis

Abraãozinho David e Rodrigo Duarte querem o fortalecimento do PSD em Nilópolis O prefeito Farid Abrão ainda não bateu o martelo sobre a disputa pela sua sucessão, mas o ano eleitoral já começou nos bastidores do PSD, que é presidido no município de Nilópolis por Rodrigo Duarte, chefe de gabinete de Farid.

Hoje, o que está evidente, é a indicação o vereador Abraão David Neto, Abraãozinho David – sobrinho de Farid que está cumprindo seu quarto mandato – poderá ser indicado pelo PSD para concorrer a prefeito, se confirmada a abertura de mão do tio, que tem revelado aos mais próximos a intenção de não mais concorrer a cargos eletivos. Com Abraãozinho na disputa majoritária, a intenção é trabalhar para que Rodrigo seja eleito vereador, substituindo Abraão Neto na Câmara.

Começou o vale-tudo em Meriti: suplente de vereador usa redes sociais para assumir ‘paternidade’ de emenda para a Saúde

As emendas parlamentares são prerrogativas de deputado e senadores, e são definidas em parcerias com os governos municipais ou estaduais, como ajuda às cidades ou estados que os parlamentares tem como base eleitoral. Entretanto, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, mal começou o ano eleitoral, tem suplente de vereador se apresentando como "pai da criança". Luiz Carlos Vicente de Paula, conhecido na cidade como Careca, escreveu em sua rede social: "Só para área da saúde eu consegui 1,5 milhão de reais em emenda para mentar".

Realmente o município recebeu, desde 2018, só através do deputado Rodrigo Maia, cerca de R$ 12 milhões para investimentos na rede saúde, recursos intercedidos pelo prefeito João Ferreira Neto, o Dr. João, e pelo presidente da Câmara, Davi Perini, o Didê. O município recebeu ainda recursos através de emendas dos deputados Júlio Lopes Luiz Antonio Teixeira e Gelson Azevedo.

PL tem dois nomes para uma vaga na eleição de Silva Jardim e prefeito interino estaria se esforçando para ficar com ela

Zilmara acredita ter a preferência no partido, mas Jaime - mesmo com uma caneta com pouca tinta nas mãos - acha que tem cacife suficiente para entrar na disputa Os partidos interessados em disputar a eleição suplementar para a escolha de prefeito e vice em Silva Jardim, marcada para o dia 8 de março, tem entre os dias 22 e 26 deste mês para realizarem as convenções que definirão os nomes dos candidatos, mas no Partido Liberal a disputa começou há dois meses.

O PL é a sigla adotada pelo extinto PR, legenda pela qual a ex-vereadora Zilmara Brandão concorreu à Prefeitura em 2016 e ficou na segunda colocação. Ela e seus apoiadores juram que a vaga é dela, mas o vereador Jaime Figueiredo, prefeito interino, depois de tomar o gostinho do poder, apesar de ter em mãos uma caneta com pouca tinta, resolveu entrar na jogada e vem trabalhando por fora para ser ele o nome a ser levado à convenção, o que só ele e seus nomeados no curto governo acreditam que pode acontecer.

Inelegível, ex-prefeito tenta construir vias alternativas para o poder em São João de Meriti marcando um triplo no jogo da sucessão

Sandro Matos: aposta tripla em Meriti Antonio Carlos Cardoso Correa não conseguiu a reeleição em 2016. Ficou como primeiro suplente, mas ganhou a cadeira com a eleição do titular, Valdeci da Saúde, para deputado. Titinho, como o veterano político é conhecido em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, segundo se comenta nos corredores do poder local, seria um dos nomes escolhidos pelo ex-prefeito Sandro Matos para disputar a Prefeitura no próximo ano, uma via de acesso para o que seria a volta indireta de Matos, que está inelegível. Titinho, entretanto, não seria o único da lista de Sandro. O ex-prefeito mira outros dois nomes, os ex-vereadores e agora deputados Leonardo Vieira Mendes, o Léo Vieira e Giovani Leite de Abreu, o Ratinho. "Vou ajudar os três", tem dito Sandro Matos, que - junto com o irmão Gil e o "primo" Marcelo - entrou para ramo da indústria gráfica.

Dos três nomes preferidos do ex-prefeito o único que nos meios políticos locais está sendo visto como candidato com potencial eleitoral suficiente para o confronto é Léo Vieira, um nome respeitado no município e com trânsito em todos setores. Titinho, já se comenta nos corredores do poder, seria candidato apenas para bater no governo e fazer escada para os outros dois, mas também se comenta que Léo não teria benefício algum com o apoio de Sandro, que deixou a Prefeitura (em 31 dezembro de 2016) mergulhada em dívidas, além de várias folhas de pagamento em atraso.

Pressão ‘tipo coca-cola’ não derruba emendas no orçamento de Itaguaí e prefeito não poderá fazer o que bem entender com o dinheiro público

Incoerência: a Prefeitura tem R$ 83 milhões em caixa - sobra que o prefeito pretende gastar no ano eleitoral -, mas o Conselho Tutelar não tem uma copiadora para prestar o devido atendimento "Companheiros, semana que vem vai ter a votação do orçamento para 2020 na Câmara. Tem (sic) vereadores querendo prejudicar o crescimento de Itaguaí e prejudicar a população. Chamem todas as pessoas do bem e conhecidos e vamos para Câmara, pois irei lá e vou falar tudo, me dando a palavra ou não".

A mensagem é do prefeito Carlo Busatto Junior, o Charlinho, foi distribuída em grupos de WastsApp na semana passada e recebida como tentativa de pressão contra os vereadores para que eles retirassem emendas que apresentaram para, segundo eles, impedir que o dinheiro público seja usado nas chamadas obras eleitoreiras, aquelas intervenções rápidas que acabam virando pó alguns meses depois de inauguradas.

Dinheiro guardado para ano eleitoral não vai poder ser usado em obras eleitoreiras em Itaguaí, pois emendas vão impedir tal possibilidade

Charlinho apelou para convocação para pressionar vereadores Por essa o prefeito de Itaguaí não esperava. Carlo Busatto Junior, o Charlinho, vinha alardeando que teria juntado em caixa ao menos R$ 100 milhões para gastar em 2020, ano em que ele tentará eleger um sucessor, já que está inelegível por ter condenação criminal em processo transitado em julgado e outras ações ainda em tramitação. Só que se depender da Câmara de Vereadores ele não poderá usar o dinheiro nas chamadas obras eleitoreiras, aquelas intervenções feitas às presas. É que alguns vereadores fizeram emendas no orçamento que será votado nesta quinta-feira (26). Gente que esteve com o prefeito nos últimos dias diz que Charlinho estaria tiririca da vida, pois as emendas engessam as possibilidades de uso indiscriminado dos recursos.

O orçamento será submetido à votação em discussão final em sessão plenária marcada para depois de amanhã, mas embora o prefeito tenha apoio da maioria dos membros da Casa, a previsão é de que todas as emendas inseridas pelos vereadores sejam aprovadas.

Nalin deverá caminhar com Rogério do Vale em Magé, apontam conversas “entre pessoas e partidos”

Nalin chegou a exercer mandato de deputado federal e garantiu para Magé recursos através de emendas parlamentares no total de cerca de R$ 10 milhões  "Boas conversas e tratativas estão acontecendo entre pessoas e partidos". Essa é a resposta dada há pouco pelo empresário e liderança política José Augusto Nalin à pergunta do elizeupires.com em relação ao que vem sendo comentado nos meios políticos de Magé sobre uma possível aliança em torno do pré-candidato à prefeito Rogério do Vale, nome apontado pelo atual governante da cidade, Rafael Santos de Souza, Tubarão. Entretanto, a união com Nalin já é dada como certa pelo grupo de sustentação ao nome de Rogério, atual presidente da Câmara de Vereadores.

Nalin decidiu entrar para a vida pública em 2014, quando concorreu a um mandato de deputado federal pelo MDB. Ficou entre os cinco primeiros suplentes da coligação MDB-PP- PSC- PSD-PTB e acabou ocupando uma cadeira por um período, tempo suficiente para ajudar Magé com recursos, assegurando emendas parlamentares no total de R$ 10 milhões. Ele voltou a concorrer no ano passado, desta vez pelo DEM, ficando na sexta suplência da aliança DEM-MDB-PP-PTB, que elegeu nove parlamentares.

Mesmo sob fogo cruzado e questionamento sobre ‘terceiro mandato’ prefeito de Itatiaia pretende disputar a reeleição

Dudu está animado com a possibilidade de reeleição - Foto: Diário do Vale Para os adversários ele já está na situação de reeleito e não poderia concorrer nas eleições de 2020, mas o entendimento do grupo dele é outro, e - pelo fato de ele ter assumido a Prefeitura por decisão da Justiça e ter governado apenas pouco mais de dois meses até ser eleito em 2016 -, não vê nenhum impedimento numa nova candidatura. O ele em questão é o prefeito de Itatiaia, município do Sul Fluminense, Eduardo Guedes, o Dudu, que assumiu o mandato de prefeito no dia 6 de julho de 2016, embora não fosse o primeiro da linha sucessória.

A ascensão de Dudu ao poder só se deu porque os então presidente e vice-presidente da Câmara de Vereadores,  Jair Balbino e Iberê Moreira Alves, se afastaram dos cargos por licença médica quando o prefeito Luiz Carlos Ferreira Bastos teve o mandato cassado pela Justiça Eleitoral.

Discurso do “sou, mas diferente” adotado na campanha de 2016 é retomado em Magé por deputado que quer ser prefeito

Renato só conseguiu ser deputado por causa do peso que a tia ex-prefeita, escândalos a parte, ainda tem em alguns bairros do município Nem Dinho (Anderson Cozzolino), nem Núbia (Cozzolino). O candidato da família que governou Magé por cerca de 30 anos – e desde 2016 vem tentando retornar o poder – , deverá ser mesmo, até por questões jurídicas, o deputado estadual Renato Cozzolino Harb, filho da ex-deputada Jane Cozzolino, que teve o mandato cassado pelo plenário da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro em 2008. Renato já tem se manifestado como pré-candidato a prefeito e até voltou a ensaiar o discurso da disputa anterior, de que ele é ele, e os familiares, familiares…

Na campanha para prefeito em 2016 Renato tinha um discurso para os eleitores de alguns bairros e outro bem diferente nos considerados redutos da ex-prefeita Núbia Cozzolino, que apesar dos escândalos, denúncias de corrupção e prisões, é apontada como grande "fazedora de obras" e é muito querida entre os menos favorecidos, sendo dona de um capital eleitoral ainda significante.

Rio das Ostras: Justiça acaba com a novela da inelegibilidade do ex-prefeito Carlos Augusto, que pretende disputar as eleições de 2020

Carlos Augusto foi condenado inicialmente a três anos de inelegibilidade, pena depois ampliada para cinco anos e caducou no dia 5 de outubro de 2016, três dias após ele ter sido eleito Livre e desimpedido. Assim está e sentido o ex-prefeito de Rio das Ostras, Carlos Augusto Balthazar, com uma vitória por sete votos a zero no Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro. Embora tivesse o mandato conquistado em 2016 cassado, ele poderia ter concorrido na reeleição suplementar realizada no ano passado e chegou a apresentar o registro de candidatura, que foi indeferido pelo juízo eleitoral local, levando ele a renunciar a candidatura, apesar de sua pena de inelegibilidade ter vencido em 5 de outubro de 2016 e de não haver mais impedimento. "Sou pré-candidato a prefeito em 2020 e, se Deus permitir estarei na disputa", disse ele agora há pouco.

Uma pena, dois castigos – Carlos Augusto havia sido condenado a três anos de inelegibilidade por ter participado de um culto em ações de graça pelo aniversario de sua esposa durante a campanha pela reeleição em 2008. Reeleito, ele cumpriu o mandato até o fim e, em 2014, em situação regular, ele foi eleito deputado estadual. Dois anos depois conquistou um terceiro mandato de prefeito e governou até abril de 2018 quando, em novo entendimento da Justiça Eleitoral, a pena já vencida foi ampliada para oito anos, tendo caducado no dia 5 de outubro de 2016, três dias após ele ter sido eleito prefeito.