Porto Real: possível candidatura de deputado a prefeito pode funcionar como linha auxiliar para o maior adversário do governo

Uma candidatura de Alexandre Serfiotis a prefeito é tudo que o grupo adversário do atual governo gostaria que acontecesse O primeiro prefeito da história de Porto Real – município instalado em janeiro de 1997 com a separação de Resende –, Sergio Bernardelli, está rindo à toa, pois tudo parece estar conspirando favor do sonho de ver a filha governando a cidade, o que ele vem acalentando desde 2012, quando Silvia (Bernardelli) por pouco não derrotou a candidata do governo, a então vice-prefeita Maria Aparecida Rocha, a Cida.

É que o deputado federal Alexandre Serfiotis, por birrinha com o prefeito Ailton Marques, estaria pretendendo entrar na disputa, o que, na visão de quem entende do riscado, acabaria servindo como linha auxiliar para a locomotiva dos Bernardelli passar sem queimar muita lenha. "Nós estamos adorando essa possibilidade e torcemos muito para que o deputado Serfiotis registre mesmo sua candidatura. Assim serão dois candidatos de uma mesma facção disputando os mesmos votos", diz um aliado dos Bernardelli.

Tendência é por nova eleição suplementar em Silva Jardim com impugnação do candidato mais votado no pleito de domingo

Jaime comemorou antes da hora, e pelo entendimento jurídico, se marcada nova eleição, ele ficaria fora da disputa, por ter dado causa a anulação do pleito Candidato mais votação na eleição suplementar realizada domingo (8) em Silva Jardim, o prefeito interino da cidade, Jaime Figueiredo (PROS) teve rejeitado ontem (9) pelo plenário do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) os embargos de declaração opostos por ele contra decisão anterior do colegiado, que havia mantido a sentença do juízo da 63ª Zona Eleitoral, que rejeitou o registro de candidatura dele. Com o julgamento os 5.525 votos conferidos a ele permanecem anulados, mas ainda cabe recurso ao Tribunal Superior Eleitoral.

O TRE-RJ ainda vai julgar outro recurso, este impetrado pela defesa do candidato do Republicanos, Valber Tinoco, que obteve 2.626, votação também anulada, pois o político concorreu na mesma situação de Jaime, com o registro indeferido. Muita gente chegou a acreditar que a segunda colocada no pleito – a candidata do PL Zimara Xavier –, com 4.127 votos, seria declarada eleita, o que, pela legislação eleitoral, não poderia acontecer.

Cornélio Ribeiro confirma pré-candidatura a prefeito de Nova Iguaçu e diz que pretende adotar modelo de saúde de Duque de Caxias

Cornélio diz que quer ser prefeito "para transformar a cidade" Ainda sem uma legenda definida, o empresário e ex-deputado Cornélio Ribeiro (foto) confirmou ontem (9) ao elizeupires.com que é pré-candidato a prefeito de Nova Iguaçu, município da Baixada Fluminense onde ele entrou para a vida pública como vereador, eleito em 1988. "Estou decidido a concorrer ao cargo de prefeito para realizar, usando minha experiência como empresário bem sucedido que sou, graças ao trabalho e uma ampla visão administrativa. Ainda estou estudando os convites recebidos de partidos, mas até o final deste mês estarei anunciando a legenda pela qual pretendo submeter meu nome em convenção", disse.

Cornélio afirmou que no sábado e domingo, acompanhado do prefeito Washington Reis (MDB), visitou várias unidades da rede de saúde de Duque de Caxias, e pretende adotar o modelo em Nova Iguaçu se escolhido nas urnas para governar a cidade. "Vi hospitais muito bem equipados. O do Olho, por exemplo, é fantástico, e recebe pacientes até de outros estados", afirmou.

Nomeação de parentes custou R$ 7 milhões por ano aos cofres públicos de Itaguaí, estima a Câmara de Vereadores

A Prefeitura de Itaguaí tem um histórico antigo de prática de nepotismo Cassado na última sexta-feira (6) pela Câmara de Vereadores - em processo no qual é acusado de prática de nepotismo -, o prefeito de Itaguaí, Carlo Busatto Junior, o Charlinho espera derrubar na Justiça os efeitos do decreto legislativo que o tirou da cadeira e atingiu também o vice-prefeito Abailard Goulard de Souza Filho, o Abeilardinho. Eles foram investigados por uma Comissão Especial de Inquérito pela nomeação de mais de 60 parentes deles, de membros do primeiro escalão do governo e de pelo menos três vereadores. Ao todo, avalia a Câmara, o nepotismo vinha custando cerca de R$ 500 mil por mês, R$ 7 milhões ao ano.

A longa lista de parentes é encabeçada pela primeira dama Andréia Cristina Marcello Busatto, nomeada para comandar a Secretaria de Educação e Cultura. Ela tem como subsecretária Cristiane Fiorotti, que esposa do secretário de Trânsito Nelson Donato Sobrinho. Sílvia Veras Ventura, ex-mulher de Abeilardinho foi nomeada no cargo de diretora financeira do fundo de pensão dos servidores do município, o Itaprevi e hoje preside a instituição, enquanto a filha dele, Erika Yukiko Muraoka de Souza é titular da Secretária de Turismo e Esporte, setor que tem como assessor Célio de Souza e Silva Junior, que cunhado do vice-prefeito

Eleição suplementar de Silva Jardim termina sem vencedor

Numero de votos computados como anulados, nulos, brancos e abstenção são quase o dobro da votação validada

Os votos de Jaime e Valber computados como anulados somam 8.151 Marcada por impugnação de candidaturas e pesquisas que passaram longe da realidade apurada, a eleição suplementar para escolha dos novos prefeito e vice realizada neste domingo (8) em Silva Jardim – pequeno município do interior do estado do Rio de Janeiro – terminou sem vencedor. É que a soma dos votos anulados, nulos e brancos chega a quase o dobro dos votos nominais conferidos e nenhum dos sete candidatos foi declarado vencedor, o que pode ser conferido aqui.

‘Benção’ de pastores não está ajudando partido do Bolsonaro: Aliança, já é visto como fora das eleições municipais

Mutirões em praças e igrejas evangélicas tem sido organizados por apoiadores de Bolsonaro Com apenas cerca de sete mil assinaturas validadas até o dia 4 de março, o Aliança Brasil, partido com a legenda 38 criado pelo presidente Jair Bolsonaro e seus aliados, não estará regularizado a tempo de participar das eleições municipais que acontecerão no dia 4 de outubro deste ano, segundo alguns dos próprios bolsonaristas já admitem. Para obter o registro o Aliança precisa apresentar 492 mil assinaturas registradas em cartório até o dia 4 de abril, mas até a semana passada havia conseguido levar ao Tribunal Superior Eleitoral 80 mil fichas de filiação, e somente 6.605 foram aprovadas até agora. Além disto, o pente fino do TSE detectou sete assinaturas de eleitores mortos.

Para arregimentar apoiadores pastores de todo o Brasil  transformaram seus templos em postos de coleta de assinaturas e vários mutirões estão sendo feitos. Na Baixada Fluminense, onde bolsonaristas vinham apostando no Aliança para, segundo diziam, "tomar prefeituras e câmaras de vereadores", os ânimos esfriaram bastante nos últimos dias, iniciando um corre-corre em busca de legendas que os abriguem.

Pré-candidato, ex-prefeito de Resende dispara propaganda de sua gestão, mas publicação não diz quem pagou a conta

As paginas distribuídas aparentemente são de publicação oficial do governo Pré-candidato pelo PDT, o ex-prefeito de Resende, Silvio de Carvalho, usou as redes sociais para disparar 70  páginas de uma publicação feita no período em que ele governou a cidade. As edições, em formato tabloide, não têm expediente, o que torna impossível saber quem foi o órgão ou pessoa física responsável pelo material impresso, assim como não identifica a fonte pagadora.

Silvio foi eleito prefeito em outubro de 2004 pelo então PMDB, com 27.514. Em 2008 ele disputou a reeleição e perdeu para o médico José Rechuan Júnior, que teve 29.346 e pulou para 46.317 na reeleição em 2012, quando nem tomou conhecimento do segundo colocado na disputa, o ex-prefeito Noel de Carvalho, pai de Silvio. Noel teve apenas 15.470 votos.

Silva Jardim: mais de 18 mil eleitores estão aptos a escolher novo prefeito em votação suplementar neste domingo

Neste domingo (8), 18.623 mil eleitores de Silva Jardim terão um encontro marcado com as urnas eletrônicas nas eleições suplementares para os cargos de prefeito e vice do município. Sete chapas concorrem à Prefeitura. O candidato vitorioso no pleito suplementar exercerá o mandato até 31 de dezembro de 2020. No dia 1º de janeiro de 2021, o prefeito a ser eleito nas eleições municipais de 4 de outubro deste ano tomará posse para um mandato de quatro anos. 

Estarão aptos a votar no pleito deste domingo (8) os eleitores em situação regular que já constavam do cadastro eleitoral como tendo domicilio eleitoral no município até o dia 9 de outubro de 2019. A data é decorrente do art. 91 da Lei 9.504/97, que determina que apenas podem participar das eleições quem tiver requerido a inscrição eleitoral ou a transferência até cento e cinquenta dias anteriores à data da votação. 

Câmara de Itaguaí cassa mandatos do prefeito e do vice

A sessão começou na noite de ontem e terminou na manhã desta sexta-feira A Câmara de Vereadores de Itaguaí acaba de cassar o mandato do prefeito Carlo Busatto Junior, o Charlinho. A decisão atinge ainda o vice-prefeito Abeilard Goulart de Souza Filho, o Abeolardinho. Eles foram responsabilizados pela prática de nepotismo, com a nomeação de cerca de 70 parentes do prefeito, do vice e de membros do governo. O presidente da Câmara, Rubem Vieira de Souza, devera assumir o governo ainda nesta sexta-feira (6).

Eleição suplementar de Silva Jardim: pesquisa aponta liderança de candidata do PL com diferença de 17% das intenções de voto

Com registro de candidatura confirmado ontem (4) por unanimidade pelo plenário do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro, a ex-vereadora Zilmara Brandão (foto), candidata do PL na eleição suplementar marcada para o próximo domingo (8) para escolha de novos prefeito e vice de Silva Jardim, lidera a disputa com 43% das intenções de voto, uma diferença de 17% para o segundo colocado, o prefeito interino Jaime Figueiredo, que concorre pelo PROS e aparece com 26% da preferência do eleitorado.

É o que revela pesquisa realizada pelo pelo Instituto Brasileiro de Pesquisa Opinun (IBPO), Registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número  RJ 09289/2016. De acordo com o levantamento – feito no dia 3 de março – no qual foram ouvidos 750 eleitores e tem margem de erro de 3,5%, com nível de confiança de 95%, em terceiro lugar está o empresário Valber Tinoco (Republicanos), somando 18%.