Denúncia de compra de votos pode derrubar vereador de São João de Meriti e complicar a vida do pai, o deputado estadual Giovani Ratinho

"A casa dos Ratinhos caiu". É o que se ouviu na noite de ontem (16) nos meios políticos em São João de Meriti, depois que o RJTV, programa jornalístico da TV Globo levou ao ar uma séria denuncia de compra de votos, envolvendo o deputado estadual Giovani Leite de Abreu, o Ratinho, e o filho dele, o vereador Giovani Leite de Abreu Junior, o Ratinho Junior, ambos do PROS. De acordo com a denúncia apresentada, os dois teriam gastos R$ 500 mil para comprar cinco mil votos. O deputado, que concorreu a prefeito e ficou em quinto lugar, teve  27.276 votos, e o filho 2.562.

O caso, que já está sendo apurado pelo Ministério Público, pode resultar na cassação do mandato do vereador e complicar a vida do deputado, deixando-o inelegível para o próximo pleito. Na matéria o RJTV mostrou imagens feitas por eleitores que filmaram a urna eletrônica e enviaram o material para a equipe de campanha dos dois, uma forma de provar os votos para que o dinheiro fosse liberado.

Ministério Público investiga “rachadinha” em Silva Jardim e vereador é conduzido à Delegacia por guardar munições em casa

Elizeu Pires

Marcelinho nomeou um cabo eleitoral que tinha que dividir o salário com outro militante da campanha do vereador O vereador Marcelo Araújo de Souza, mais conhecido em Silva Jardim - pequena cidade do interior do estado do Rio de Janeiro - como Marcelinho Pedreiro, foi alvo de uma operação de busca e apreensão nesta sexta-feira (16), no âmbito de inquérito aberto pelo Ministério Público para apurar denúncia de “rachadinha” no gabinete dele.  Conforme o elizeupires.com revelou em matéria veiculada no último dia 7, um assessor do parlamentar divulgou um vídeo nas redes sociais, revelando que era obrigado a dividir o salário com um amigo que, como ele, havia trabalhado na campanha do vereador, que foi levado à Delegacia local para ser autuado por guardar em casa munições de arma de fogo, tendo sido liberado logo depois.

Hospitais federais têm 387 leitos fechados no RJ: Enquanto isso 383 pessoas estão na fila de espera, Aponta a Comissão de Saúde da Alerj

Seis hospitais federais do Rio tem atualmente 387 leitos fechados por falta de funcionários. O número foi apresentado por diretores das unidades de saúde em audiência de conciliação entre a Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) e a União. A juíza Maria Amélia Senos de Carvalho, da 23ª Vara da Justiça Federal, deu prazo de 15 dias, a partir de 15/04, para que o Ministério da Saúde informe se o percentual constitucional previsto para a Saúde nos orçamentos de 2019 e 2020 foi cumprido e se as dotações orçamentárias nesses exercícios foram totalmente executadas. "O estado do Rio conta com 383 pessoas na fila de espera por leitos de UTI ou enfermaria. Ou seja, no momento, temos mais leitos ociosos do que pacientes à espera de atendimento adequado. É estarrecedor, desumano", disse a presidente da Comissão de Saúde, deputada Martha Rocha (PDT).

 Em 25 de março, a Justiça deu liminar favorável à Comissão na ação civil pública que pede a abertura de leitos federais para covid no município do Rio e a recomposição ou reintegração dos profissionais da saúde dos hospitais que foram demitidos durante a pandemia. O levantamento apresentado na audiência pelos diretores das unidades revela que seis leitos estão ociosos no Hospital Federal de Bonsucesso; no Hospital Federal dos Servidores do Estado, 108; no Hospital Federal Cardoso Fontes, 59; no Hospital Federal de Ipanema, 48; no Hospital Federal da Lagoa, 95 ; no Instituto Nacional do Câncer, 22; no Instituto Nacional de Cardiologia, 14 e no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia, 35. O representante do Hospital do Andaraí não compareceu à audiência.

Pleno do STF mantém anulação das condenações do ex-presidente Lula, que está livre para disputar as eleições de 2022

Elizeu Pires

Em julgamento encerrado agora há pouco o Supremo Tribunal Federal (STF), manteve a decisão do relator da Lava Jato na Corte, ministro Edson Fachin, que anulou as condenações imposta pelo juízo da 13ª Vara Federal de Curitiba ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.  Votaram contra o ex-presidente apenas os ministros Marco Aurélio Melo, Kassio Nunes Marques e Luiz Fux.

Magé vai trocar secretário de Saúde mais uma vez e o novo nome não deverá ser indicado pelo deputado que ganhou o comando da pasta

Segundo nome indicado este ano pelo deputado Luiz Antonio Teixeira Junior, o Dr. Luizinho (PP-RJ) para comandar o setor de Saúde em Magé, Pâmela Roberta Ferreira da Silva está de saída do cargo de secretária, devendo ser substituída ainda neste fim de semana. Conforme o elizeupires.com havia revelado na matéria Pressões internas podem tirar de deputado o comando da Saúde em Magé, ela entrou no lugar de Caio Antônio Mello Souza - um apadrinhado pelo deputado -, que não aguentou a pressão e jogou a toalha.

De acordo com informações de uma fonte ligada ao governo, a substituta de Caio não estaria satisfeita com questões relativas à folha de pagamento e com interferências que estariam sendo feitas por familiares do prefeito, que gostariam de ver no comando da pasta uma pessoa indicada por eles. Também haveria discordância em relação a fornecedores. Uma situação estranha, por exemplo, tem a ver com a manutenção da frota da Secretaria de Saúde, mas esse fato não teria relação com a saída da secretária. Segundo a fonte, mesmo a Prefeitura tendo contrato até julho deste ano com uma oficia mecânica localizada em Magé e essa vem sendo usada por varias secretarias, os carros da Secretaria de Educação estão sendo levados para serem consertados numa oficina em Piabetá.

Câmara de Itatiaia recebe representação contra o prefeito interino: Resta saber quais providências serão tomadas pelos vereadores

Elizeu Pires

Imberê vai ter que vai dar muitas explicações ao Ministério Público deverá ter problemas também na Câmara A compra emergencial de materiais de proteção individual feita pela Prefeitura de Itatiaia para abastecer o hospital da cidade por seis meses foi, no mínimo, exagerada. Essa é a avaliação feita por gente que entende do riscado, com base nos números constantes da proposta orçamentária apresentada pela empresa Latex Hospitalar Importação e Comércio de Produtos Hospitalares que ganhou um contrato de R$ 3 milhões e recebeu quase a metade sem ter entregue a totalidade dos materiais correspondentes ao valor pago.

ANS: planos devem autorizar RT-PCR de forma imediata

O objetivo é agilizar a realização dos exames

As solicitações médicas de exame RT-PCR, para diagnóstico de covid-19, que atendam às condições da cobertura obrigatória devem ser autorizadas de forma imediata pelas operadoras de planos de saúde. A determinação é da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que informou hoje (14) que, desde 1° de abril, começou a vigorar a alteração da Diretriz de Utilização (DUT). O objetivo é agilizar a realização dos exames.

Justiça Federal manda Band reduzir tempo televisivo comercializado a igrejas

Ação do MPF comprovou descumprimento da lei por parte da emissora

A Justiça Federal no Rio de Janeiro julgou procedente ação civil pública proposta pelo Ministério Público Federal (MPF) para obrigar a Band Rio a cumprir o limite máximo de 25% do tempo de programação reservado à comercialização. Segundo apurou o MPF, a emissora comercializa até 5h45min diários de sua programação a nove denominações religiosas neopentecostais. Somando-se este tempo àquele reservado à publicidade de produtos e serviços, verificou-se que a emissora chega a comercializar até 06h34min do tempo de sua programação diária, ultrapassando, assim, o limite de 25% pela estabelecido pelo artigo 124 da Lei Geral da Radiodifusão e pelo Decreto 52.795/1963.

“Crise moral e de gestão” fecha o Hospital de Itatiaia, e movimento pela substituição do prefeito interino começa a crescer

Elizeu Pires

Depois do escândalo do pagamento por produtos não entregues em sua totalidade, de operações de busca e apreensão feitas pelo Ministério Público, e da nomeação de um sócio de dois dos donos de uma empresa contratada – sem licitação – por R$ 3 milhões, os moradores de Itatiaia, município do Sul do estado do Rio de Janeiro, foram surpreendidos agora há pouco com o fechamento temporário do Hospital Municipal Manoel Martins de Barros, que passará a atender apenas os casos de urgência.