Câmara de Belford Roxo tem gente e despesas demais

E os comissionados recebem primeiro que os concursados

As contas do município de Belford Roxo estão furadas. A despesa não bate com a receita e os servidores é que sofrem as consequências de uma gestão não fiscalizada pela Câmara de Vereadores, que, os números indicam, tem lá seus motivos para fechar os olhos: os funcionários efetivos do Legislativo estão nas costas do Executivo, uma folha extra de pelo menos R$ 1,2 milhão mensais, incluindo os encargos, gasto que também está sendo quitado fora do prazo legal, pois os salários dos estatutários da Casa sofrem o mesmo atraso que afeta os servidores da Prefeitura, por conta desta estranha vinculação. Já os ocupantes de cargos comissionados da Câmara e os vereadores não têm do que reclamar: outros R$ 1,2 milhão mensais que, chova ou faça sol, o Executivo manda para o Legislativo cobrem as despesas com eles, enquanto os “carregadores de piano” ficam no ora veja. Ao todo, o funcionamento da Casa Legislativa de Belford Roxo consome atualmente R$ 2,4 milhões ao mês, R$ 28,8 milhões por ano e não há nenhuma transparência quanto ao destino dado aos recursos públicos.

Presidida pelo vereador Marco Aurélio de Almeida Gandra, o Marquinho Gandra (PDT), que já se considera reeleito para continuar no comando da Casa, a Câmara de Belford Roxo teria assessores demais e trabalho de menos. O número de nomeados em cargos comissionados é tratado como segredo de estado, assim como o salário pago a cada um deles. A única coisa que se sabe com clareza é que 88% do efetivo é de comissionados. O problema é saber, em quantitativo, o que esse percentual representa, pois este ano muitas nomeações foram feitas.

“Os cargos da Câmara são destinados aos cabos eleitorais. Cada vereador tem sua tropa particular e a do presidente da Casa, que já se declara candidato a deputado em 2018, é bem maior. É preciso que se passe um pente fino na folha de pessoal da Câmara. Aqui em Belford Roxo o coronelismo ainda impera e as pessoas têm medo de falar. Seria bom se o Ministério Público voltasse os olhos para funcionamento do nosso Poder Legislativo. Se isto ocorrer vai acabar descobrindo que a casa que deveria ser do povo tem donos que nada tem a ver como o povo e desse povo se servem de quatro em quatro anos”, diz um observador mais atento.

Comentários:

  1. É necessário acabar com essa falta de transparência. Essa atitude do legislativo em Belford Roxo vem contribuindo para a situação em que o município se encontra, com quatro meses se salários atrasados. É por isso que as manifestações por parte dos servidores nas ruas de Belford Roxo não param. É necessário reverter Essa situação, e a justiça tem importante papel nisso tudo.

Deixe uma resposta para Douglas Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.