Empresa de irmão do genro do prefeito faturou alto em Itaguaí

A Construtora Lytorânea foi contratada para obras, além de locação de veículos e máquinas

A Prefeitura de Itaguaí firmou vários contratos com a Lytorânea desde que o município passou a ser governado por Charlinho

A gestão do prefeito Carlo Busatto Junior, o Charlinho, é chamada de “governo de família”, por conta das nomeações de parentes dele, de familiares do vice-prefeito Abeilard Goulard Filho, o Abeilardinho, de vereadores e de membros do primeiro escalão, mas o termo latino familia, é mencionado também quando a rendosa relação de negócios iniciada no primeiro mandato de Busatto entre a Prefeitura e a Construtora Lytorânea é lembrada. É que a empresa foi representada nos vários contratos firmados desde então com a administração municipal, pelo empresário Bruno da Costa Abade, irmão do também homem de negócios Marco Aurélio da Costa Abade, genro de Charlinho.

Atualmente o sistema da Prefeitura não aponta nenhum contrato em nome da Lytorânea, que também já teve Marco Aurélio como dono, mas o mesmo sistema revela pagamentos feitos à empresa na atual gestão, uma soma de R$ 295 mil (confira aqui), “coisinha pouca”, considerando os milhões que a Lytoranea faturou dos cofres itaguaienses nos dois governos anteriores do sogro do irmão do dono.

Campeã em licitações – As despesas pagas pela Prefeitura de Itaguaí entre de 2005 e dezembro de 2012, período correspondente aos dois primeiros mandatos de Charlinho não mais estão no site oficial do município, bem como os contratos firmados com a empresa do irmão do genro dele, mas a estimativas apontam que o faturamento pode ter passado de R$ 300 milhões. Até 2016 ainda apareciam registros de 2011 e 2012, dados que apontaram que só nesses dois anos os pagamentos à Lytorânea passaram de R$ 83 milhões.

Até 2009 a empresa atuava apenas com obras de reforma e construções. Vencia todas as licitações abertas para construção de escolas e quadras de esporte, mas o contrato social sofreu uma alteração para que a Lytorânea pudesse participar do Pregão 022/2009, aberto para locação de veículos e máquinas pesadas. Não deu outra. Ela venceu o certame junto com a empresa Personalitee Aluguel de Veículos.

Esse pregão rendeu a Lytorânea um contrato  com valor global de R$ 20.230.440,00, tendo a empresa recebido R$ 10.122.303,72. Foram R$ 4.837.349,17 em 2011 e R$ 5.284.954,55 em 2012, os dois últimos anos da segunda gestão de Charlinho, período em que a empresa mais dinheiro por outros contratos.

Os dados encontratos no sistema de registros de despesas da Prefeitura em 2016 apontaram que a Lytorânea recebeu R$ 31.831.872,23 em 2011, e R$ 51.759.606,33 em 2012, mais R$ 2.553.270,24 em 2013 e R$ 10.407.287,63 em 2014, durante o governo do prefeito Luciano Mota, enquanto o prefeito Weslei Pereira fez pagamentos no total de R$ 2.055.331,88 em 2015 e R$ 685.167,10 em 2016.

O espaço está aberto para manifestação da empresa e da Prefeitura de Itaguaí.

Matérias relacionadas:

Itaguaí tem um ‘governo de família’

TCE não se interessou por contratos suspeitos em Itaguaí

Números altos parecem atrapalhar o TCE

Itaboraí é o novo eldorado para o grupo da Lytoranea

Envie seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.