Processo que retarda sentença de prisão contra o prefeito de Caxias agora tem novo embargo, o de gaveta

● Elizeu Pires

O “embargo dos embargos” impetrado pela defesa do prefeito de Duque de Caxias para retardar a execução de uma sentença de sete anos e dois meses contra Washington Reis era para ter sido julgado na última terça-feira (17), mas continua na gaveta do relator da ação no Supremo Tribunal Federal, o ministro Edson Fachin.

“Depois da vaca voadora do ministro Gilmar Mendes que suspendeu os efeitos de uma inegibilidade para o prefeito ser empossado, agora tem o ’embargo de gaveta’. Isso já está ficando feio para o Poder Judiciário”, diz um operador do Direito incomodado com a situação.

Reis foi condenado em dezembro de 2016 por crime ambiental e a sentença foi mantida em março deste ano, mas a execução da pena vem sendo retardada por uma série de embargos impetrados pelo advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, apontado como um dos criminalistas mais caros do Brasil.

Considerado como “incabível” o processo com o novo embargo teve vista aberta para a Procuradoria Geral da República no dia 1º de junho, retornou dias depois ao STF com parecer contrário da PGR, dependendo agora de um simples despacho com um “cumpra-se”.

Comentários:

  1. Pois é, dizer que está é elogio.
    É vergonhoso.
    Só relembrando…Dias Toffoli ficou dois anos sentado no processo, depois devolveu alegando impossibilitado de proceder parecer.
    Gilmar Mendes também amaciou.
    Depois da condenação resta ao ministro Fachin expedir o CUMPRA-SE. Complicado, para dizer outra coisa.

Envie seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.