Dinheiro demais parece atrapalhar o prefeito de Rio das Ostras

Os cofres estão cheios, mas tem faltado o mínimo nas unidades de saúde

Marcelino, apesar dos cofres cheios, tem deixado muito a desejar

● Elizeu Pires

Com cerca de 160 mil habitantes, Rio das Ostras tem uma receita superior a de cidades com até cinco vezes mais moradores, mas a julgar pelas reclamações registradas por lá, o prefeito Marcelino Borba, o Marcelino da Farmácia, não está sabendo o que fazer com o dinheiro que entra nas contas da Prefeitura, do contrario não estaria faltando medicamentos nas unidades de saúde, como tem denunciado com frequência pelo vereador Marciel Gonçalves que, sem papas na língua, só não chamou Marcelino ainda de bonito.

As denúncias do parlamentar e os adjetivos por ele usados para caracterizar o prefeito, entretanto, parece não incomodar, pois Marcelino não toma providências e muito menos responde os requerimentos com pedidos de informações, comportando-se como se não tivesse satisfação a dar aos contribuintes e à Câmara Municipal.

Se os mais atentos cidadãos riostrenses não veem ações efetivas por parte da administração municipal, os números apontam que e o que não é por falta de dinheiro que o prefeito vem deixando de fazer o que a população espera, pois a receita vem subindo mês a mês desde que Marcelino assumiu seu primeiro mandato, em junho de 2018.

De acordo com os registros da Prefeitura, a arrecadação foi de R$ 632.912.540,18 e subiu para R$ 637.872.551,00 no ano seguinte. Em 2020 a receita foi de R$ 658.741.507,05 e foi a R$ 790.162.526,55 no ano passado, e tudo indica que a receita de 2022 vai superar em muito a de 2021, pois do dia 1 de janeiro até ontem (17/8), de uma arrecadação estimada em R$ 826,3 milhões, o município já havia recebido R$ 614,5 milhões.

A expectativa de aumento maior para este ano está no crescimento dos repasses constitucionais ao município, que, segundo revela o Demonstrativo de Distribuição da Arrecadação, ferramenta do Sistema de Informações Banco do Brasil (SISBB), somaram R$ 404,5 milhões em 2021 e chegaram a R$ 319,6 milhões nos sete primeiros meses de 2022, com destaque para os royalties do petróleo, que somaram R$ 179,2 milhões em todo o ano passado e somam R$ 146,3 milhões de 1 de janeiro a 17 de agosto deste ano.

*O espaço está aberto para manifestação da Prefeitura de Rio das Ostras.

Envie seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.