Novo contrato de concessão da Rio-Teresópolis incluirá mais um trecho de 70 quilômetros e nova praça de cobrança de pedágio

A Rio-Teresópolis tem hoje o pedágio mais caro do estado do Rio de Janeiro – Foto:Magéonline

O contrato de concessão da Rodovia Santos Dumont –  trecho da BR-116 conhecido também como Rio-Teresópolis – firmado pelo governo federal com a CCR-CRT (Concessionária Rio-Teresópolis) termina em março de 2021 e a licitação já está sendo elaborada. A nova concessão vai incluir também um trecho de 70 quilômetros da Rodovia Rafhael de Almeida Magalhães, o Arco Metropolitano, que vai de Saracuruna, em Duque de Caxias, a Itaguaí, trajeto para o qual está planejado um posto de cobrança de pedágio. Ainda não estão definidos a tarifa nem o volume de recursos destinados a investimentos, mas quem ganhar a licitação terá de fazer obras em toda a extensão do Arco.

A exemplo do que está fazendo em relação à nova concessão da Rodovia Presidente Dutra, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), vai promover audiências públicas para discutir o novo modelo de gestão, mas, ao contrário do que chegou a ser divulgado em 2017 por políticos de Magé – município que está ilhado com três pontos duplos de cobrança de pedágio – , não existe menção no estudo para retirada de nenhum dos postos. A ANTT, por exemplo, nunca pensou em remover a praça de cobrança bidirecional Engenheiro Pierre Berman, localizada no Km 133,5, na localidade de Bongaba.

Nova distribuição de ISS – Informações dão conta de que a única possibilidade de o município de Magé vir a levar vantagem na nova concessão seria com um novo modelo de distribuição dos valores destinados ao pagamento do ISS, um tributo municipal. Atualmente o critério adotado é o dá quilometragem, que só resulta em ganhos reais para Teresópolis e Sapucaia, municípios que ficam com a maior parte do bolo e não tem nenhuma praça de pedágio.

De acordo com estimativa da Prefeitura, Magé está recebendo 50% do que deveria, por conta do atual critério. Pelo que está no contrato que termina em março do ano que vêm, a Prefeitura de Teresópolis recebe mais pelo fato de o município ter a maior extensão do trecho da BR-116 sob concessão da CRT.

Ao todo a Concessionária Rio-Teresópolis administra um trecho de 142,5 quilômetros, entre Saracuruna e Além Paraíba, no estado de Minas Gerais. A extensão em território teresopolitano mede 48,70  quilômetros, ficando Sapucaia em segundo lugar, com 37. Depois vem Magé com  24,5; Guapimirim, 22; Duque de Caxias, 8,3 e São José do Vale do Rio Preto com dois quilômetros.

O novo critério de distribuição de ISS que estaria sendo proposto seria o da divisão do bolo em partes iguais.

Matérias relacionadas:

Teresópolis leva a melhor com a CRT

ANTT não cogita retirada de pedágio em Magé

Comentários:

  1. Mais um pedágio ??
    Vocês tem é que tirar pedágio nessa bagaça…
    Moro em Magé e para eu sair da cidade pelos 4 cantos da cidade,tenho que pagar pedágio e com preços altos,contando que todas as estradas de acesso não tem condições se quer nem de andar a “pe”…
    Deveriam implantar as condições necessárias e não fazer o estado de cidade – pedágio..
    Tomem vergonha na consciência

  2. Segundo o texto do nosso amigo Elizeu (O contrato de concessão da Rodovia Santos Dumont – trecho da BR-116 conhecido também como Rio-Teresópolis – firmado pelo governo federal com a CCR-CRT (Concessionária Rio-Teresópolis) termina em março de 2021 e a licitação já está sendo elaborada. A nova concessão vai incluir também um trecho de 70 quilômetros da Rodovia Rafhael de Almeida Magalhães, o Arco Metropolitano, que vai de Saracuruna, em Duque de Caxias, a Itaguaí, trajeto para o qual está planejado um posto de cobrança de pedágio. Ainda não estão definidos a tarifa nem o volume de recursos destinados a investimentos, mas quem ganhar a licitação terá de fazer obras em toda a extensão do Arco.) esta informação vai contra o anunciado no dia 08/02/2020 pelo atual prefeito de Magé.
    na ocasião o sr Rafael afirmou que o pedagio sairia da nossa cidade assim como a concessão da rodovia não seria mais renovada e não haveria mais concessões para esse trecho, como pode agora termos a informação de que esta sendo elaborada uma nova licitação? sera que mais uma vez a população Mageense vai ser enganada por essa corja de velhos políticos profissionais que entra ano e sai ano nada fazem de concreto para melhorar a condição de vida dos munícipes.
    Há quanto anda à ja esquecida concessão das barcas para mauá? o que foi feito do projeto de construção de uma ponte sobre o rio estrela que ligaria Mauá a Duque de Caxias ? esse me lembro bem que por muitos foi recusado com a alegação de abrir a fronteira entre Mauá e Ana Clara para bandidos (como se o rio assoreado e com uma largura de 10 metros segurasse auguem) ; na verdade esses projetos não são politicamente viáveis, com essa politica nossos governantes só ganham nas obras e deixariam de ganhar com a roubalheira que assola nosso município.
    a verdade e uma só; se fosse do interesse da prefeitura e câmara dos vereadores seria abertas as ruas que dão acesso a ponte preta no trajeto Magé x Duque de Caxias e seria aberto uma rua do parque estrela para Mauá no sentido contrario.

    deixa eu sair um pouco do assunto e sugerir a quem nos governa ou nos governará no próximo mandato.
    pensem em abrir nossa cidade para grandes empresas com o compromisso de contratar 85% da mão de obras em nosso município, temos grandes áreas que só servem para proliferação de mosquitos, vamos dar a essas empresas um incentivo como isenção de impostos por um determinado período, isso alavancaria nossa capacidade de geração de empregos evitando que os cidadãos de Magé se desloca-sem de suas casas as 04:00h da manha para chegar em seus trabalhos as 07:30 como acontece comigo. passo mais tempo dentro de ônibus do que com minha família, sou um dos trabalhadores que vem trocar marmita em minha querida cidade dormitório.

    finalizo aqui meu comentário e pergunto; da para melhorar nossa Magé??? .

  3. esqueci de comentar que a saída por Bongaba que da acesso a ponte preta foi fechado pela prefeitura por conta do covid19 , agora quem quiser sair do pedágio e estiver doente pode levar o vírus ate Piabetá que a barreira sanitária deixa (ou paga o pedágio ou passa por piabetá

  4. Sou nascida e criada no município de Magé,hoje tenho 39 anos de idade e vejo o quanto o pedágio tem atrapalhado o crescimento e desenvolvimento do município.
    Preços abusivos e o pior de tudo é que não há nenhum tipo de retorno para o município… entrar governo saí governo e nada muda. O pedágio virou palanque para vários políticos corruptos se elegerem usando a mentira mais deslavada desse mundo de que o pedágio sairia em definitivo de Magé, são tantas falácias em torno desse assunto que me enjoa só de ouvi-los. Do outro lado fica a população que em sua grande maioria trabalha fora do município,pois as oportunidades dentro de Magé estão cada vez mais limitadas,e um dos motivos é o valor abusivo desse pedágio que impede que empresas se instalem no município com isso o retrocesso limita a vida e principalmente os sonhos da população Mageense. Quando será que essa covardia com a população Mageense terá fim?? Sinceramente as pessoas não merecem isso!!!

  5. Infelizmente o que prevalece é a ganância e a inconstitucionalidade. A localização da atual praça de pedágio é totalmente errada, pois deveria estar em lugares remotos, isso sem falar nas outras que cercam o município de Magé, situadas nos retornos. Quando informaram que ia terminar essa cobrança abusiva, claro que ascendeu uma ponta de esperança, entretanto, sabia que ñ seria tão fácil,mas totalmente impossível que acontecesse, e para piorar o que já está ruim, querem agregar novos pedágios.
    Que a população está insatisfeita e sofre com isso todos já sabem, mas será que a decisão dos governantes será pelo povo ou contra o povo?
    Bem, devemos cobrar atitudes que favoreçam o crescimento do município de Magé, mas caso seja retardado por mais trinta anos o desenvolvimento, vejo que eu e muitas famílias serão obrigadas a venderem suas casas.

  6. Sou a favor de abrir mais cinco praças de pedágio e fracionar toda via, pedágio justo para todos sabemos que o governo não tem condições de manter a via em condições de uso.

  7. É uma vergonha os mentirosos politicos tentando se aproveitar da ocasião desta roubalheira, inclusive até o filho do presidente se prestou a compactuar com esta FARSA para iludir a população. Este orgão que se chama ANTT só pensa em tirar proveito para aumentar a arrecadação e compactuar com essa covardia. O Brasil esta vendo esta vergonha, espero que nas urnas eles sejam punidos.

Envie seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.