Não por acaso Sabino se aproxima do ocaso

Sabino teve mais de R$ 2 bilhões para administrar, mas a cidade nada ganhou nesta gestão

Prefeito de Rio das Ostras vive seus piores dias na vida pública

Ocaso, explica o dicionário, é o momento que o sol se põe no horizonte, precedendo a noite. E – pelo menos é o que revela pesquisa de intenção de votos recente, registrada na Justiça Eleitoral sob o número RJ- 04181/2016 – é isto que o prefeito de Rio das Ostras, Alcebíades Sabino dos Santos, candidato a reeleição pelo PSDB, está vivendo. Os dados da pesquisa feita pelo Instituto GPP mostram que a porta dos fundos do poder está escancarada para ele, assim como a boca cheia de dentes de uma noite tenebrosa, pois ele está inelegível até 2023 e, por força de resolução do Tribunal Superior Eleitoral, os votos eventualmente conferidos a ele neste domingo serão computados em separado, uma vez que seu registro de candidatura foi indeferido. Sabino está concorrendo sob efeito de recurso, mesma situação de seu fiel escudeiro, o vereador Elói Dutra Reis, condenado como ele em segunda instância por fraude em licitação em ação de improbidade administrativa movida pelo Ministério Público.

Isolado dentro de seu próprio grupo e despojado do título do qual sempre se julgou dono – “o melhor prefeito que Rio das Ostras já teve” -, talvez por desespero, Sabino passou os últimos dias da campanha disparando contra o seu adversário mais forte, o deputado estadual Carlos Augusto Balthazar, candidato do PMDB que aparece em primeiro lugar (41,%) na mesma pesquisa que confere ao atual prefeito uma reprovação de 69,4% e apenas 9,2% das intenções de voto.

O prefeito é rejeitado hoje até por membros do primeiro escalão do seu governo e um deles chegou a comentar neste sábado que “o prefeito está acabado”. Disse que “Sabino já era”, pois está inelegível por causa do processo sobre a compra de gasolina e deverá ampliar a inelegibilidade em condenações futuras. Perto do final do seu terceiro mandato – embora tenha contado com mais de R$ 2.3 bilhões para administrar o município – Sabino deixou muito a desejar e vem se arrastando numa caminhada em busca dos votos que já teve aos montes e onde parecem escassos.

“Sabino já foi uma grande liderança. Ninguém pode negar isto, mas ele próprio sabe que a realidade hoje é bem outra. Neste terceiro mandato ele soltou as rédeas, deixou os secretários fazerem o que bem quiseram e o resultado é o desastre que está aí. A cidade parou, nada aconteceu e ele não conseguirá fechar as contas do exercício fiscal de 2016. O rombo é grande, inclusive na carreira pública dele”, diz um aliado que prevê noites de breu para Alcebíades Sabino, que esta semana sofreu mais uma derrota no Tribunal de Justiça, que rejeitou recurso pedindo a suspensão da eficácia de acórdão da ação civil pública em que ele foi condenado por “atos que importam em enriquecimento ilícito e que causam prejuízo ao erário, licitação eivada de nulidade, violação aos princípios da legalidade e moralidade administrativa”.

Comentários:

  1. O Dr. SÉRGIO MORO te espera! Ficarei feliz em saber que houve sequestro de bens, mesmo nas mãos dos laranjas, serem devolvidos ao estado! Quem planta colhe!!!!!!

  2. Quando temos em nossas mãos, a responsabilidade e a oportunidade de mudar a história, não devemos fugir dela! Nos cabe acima de tudo, ver o passado como exemplo, o presente como oportunidade e o futuro como esperanças. É muito simples, fui no TSE e vi os candidatos que estavam com liminares, tendo sido julgados pela 1ª e 2ª Instância, não arrisquei, e risquei de minha intensão de apoio!!!!!!!!!!!!

Deixe uma resposta para ELOY SARINÕ Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.