Compra de votos suspende diploma de vereador em Queimados

Adriano Morie não se apresenta à Justiça deste que teve prisão relaxada

A Justiça decidiu pela suspensão do diploma do vereador reeleito Adriano Morie (foto), atendendo a pedido da 138ª Promotoria Eleitoral na Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) e também na ação penal nais quais o parlamentar é acusado de compra de votos e falsificação de documentos de identidade e de títulos de eleitor. No processo penal ele chegou a ter sua prisão preventiva decretada e também o seu afastamento das funções de vereador, mas o TSE  revogou a prisão e desde então Morie não mais se apresentou à Justiça Eleitoral.

Além de Adriano a promotoria denunciou Mário César Pereira Gomes, servidor do Tribunal Regional Eleitoral e mais três pessoas acusadas de fraude montada para beneficiar a candidatura do vereador. A denúncia apresentada pela Procuradoria Regional Eleitoral aponta para uma associação fraudulenta que utilizava documentos falsos, visando possibilitar que seus agentes votassem no candidato em diversas seções eleitorais da cidade.

No dia 2 de outubro três pessoas foram presas em flagrante com envelopes com 90 documentos de identidade e 60 títulos de eleitor falsos, além de comprovantes de votação. De acordo com a denúncia ajuizada pelo MP, Mario César, a pedido de Morie, falsificou 95 carteiras de identidade, usando inclusive a própria foto e dos outros três acusados. Ele, Ramon Rodrigo Ferreira Gonçalves, Marcelo da Silva Ribeiro e Wallace Machado Oliveira usaram os documentos em nome de eleitores regularmente registrados no TRE e votaram em Adriano.

Envie seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.