Resende: Justiça manda prefeito garantir acessibilidade

MP agiu para garantir que obras sejam feitas neste sentido

Diogo vai ter que fazer as obras necessárias O Diogo Balieiro (foto), vai ter de realizar obras para facilitar o acesso de pessoas com deficiência nas vias da cidade, edifícios e espaços de uso público. Decisão neste sentido foi tomada pelo juízo da 1ª Vara Cível da Comarca de Resende, em ação movida pelo Ministério Público, através da 3ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva (núcleo Volta Redonda).

Na decisão a Justiça determinou a adoção de “providências para a realização de tais obras de adaptação nas vias, espaços públicos e edifícios de uso público de sua propriedade, e naqueles que estejam sob sua administração ou uso, com vistas a garantir o direito à acessibilidade das pessoas com deficiência e com mobilidade reduzida”.

Estudantes da Estácio preparam festa na rua e infernizam vida de moradores em bairro de Nova Iguaçu

Os moradores da Rua Alexandre Rodrigues, no bairro Califórnia, em Nova Iguaçu, vem sofrendo há muito tempo com os abusos praticados por estudantes da Universidade Estacio de Sá, que fazem a via de estacionamento, param dos dois a lados da rua e fecham os acessos às garagens. No ano passado, sem autorização do poder público, alunos decidiram fazer uma festa na via e a Policia Militar teve de intervir. Nesta sexta-feira (6) o "circo" começou a ser montado cedo, com tendas e equipamentos para o que deverá ser um baile funk. A Polícia Militar está no local, mas os estudantes continuam montando a festa para desespero dos moradores, que não terão como entrar ou sair com seus carros.

 

Convênio garante reabertura do Hospital Pediátrico de Belford Roxo

Unidade estava com o funcionamento comprometido por falta de recursos

"Hospital Flumimense – Humanização reestruturando valores." A frase em duas placas fixadas na entrada do Hospital Infantil de Belford Roxo, mostra que a até então problemática unidade de atendimento infantil está sob nova direção. Porém, o que as mães que lá iam buscar socorro médico para seus filhos e não encontravam esperam é que a coisas realmente funcionem. Ontem o prefeito Wagner dos Santos Carneiro, o Waguinho, assinou um convênio com os novos gestores para garantir que o hospital opere com toda a sua capacidade de atendimento, ao contrário do que vinha acontecendo. "O hospital está de portas abertas para atender as crianças que tanto precisam, não importando de quais cidades venham", disse o prefeito.

Nova Iguaçu: Rogério Lisboa anuncia mais uma escola para as crianças de Comendador Soares

A Prefeitura de Nova Iguaçu vai construir uma escola nova em Comendador Soares. O anúncio foi feito pelo prefeito Roger Lisboa, durante visita ao bairro. A unidade vai atender cerca de 600 estudantes da educação infantil ao 5º ano e será construída em um terreno com aproximadamente 3 mil metros quadrados. O prédio contará com dez salas de aula, sendo duas delas para o ensino infantil, midiateca, biblioteca, sala de vídeo, refeitório amplo e área de lazer. Haverá também uma quadra poliesportiva que será utilizada tanto pelos alunos quanto pelos moradores da região.

"A Educação é nossa prioridade. Estamos realizando um programa de recuperação de várias escolas da nossa rede e ainda construindo novas, de acordo com nossa viabilidade financeira que é limitada por causa da crise que o país atravessa. Não é um processo fácil. Mas estamos caminhando para fazer de nossa rede um ambiente digno para nossos profissionais de educação e para nossas crianças", afirmou o prefeito.

Hoje tem feira de emprego para pessoa com deficiência em Meriti

Evento vai acontecer na Praça dos Três Poderes

O município de São João de Meriti irá receber nesta quinta-feira (29), a sexta edição do Dia D – Feira de Emprego da Pessoa com Deficiência. O evento terá a participação de empresas que ofertarão oportunidades de trabalho, em diversas áreas, para pessoas com deficiência e reabilitados do INSS. A feira acontecerá das 9h às 16h, na Praça dos Três Poderes, em frente à prefeitura. A feira de emprego é uma realização do Ministério da Economia, em parceira com a Rede Incluir, com o Sistema Nacional de Emprego (SINE) Estadual e Municipal, e com a Prefeitura de São João de Meriti, por meio da Secretaria Municipal de Trabalho, Ciência e Tecnologia.

Acréscimo no contrato do lixo em Macaé foi para cobrir custos no aumento de serviço prestado, diz contratada

O termo aditivo que acrescentou R$ 10,5 milhões ao contrato da limpeza urbana firmado em 2018 pela Prefeitura de Macaé, foi autorizado pelo prefeito Aluizio dos Santos Junior, o Dr. Aluizio, para cobrir gastos gerados pelo aumento do volume de lixo e entulhos coletado diariamente. O esclarecimento foi feito pela Limpatech Serviços e Construções, empresa responsável pela coleta de lixo no município, além do transporte, varrição e destinação final. De acordo com a empresa, a soma total do contrato é resultante do preço unitário do serviço aprovado pelo Tribunal de Contas do Estado, e a quantidade de resíduos coletados para a previsão do valor contratual é feita por estimativa.

Macaé: redução de preço determinada pelo Tribunal de Contas na licitação da coleta de lixo foi respeitada por apenas um ano

Em decisão tomada no dia 30 de agosto de 2016 o Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro suspendeu concorrência para coleta de lixo aberta pela Prefeitura de Macaé, com valor global de R$ 85.478.311,32. O TCE determinou uma série de modificações no edital de licitação e questionou o fato de o município ter incluído vários serviços no mesmo processo. Correções feitas, o edital foi liberado com valor estimado em pouco mais de R$ 73 milhões. Só que em março deste ano, alegando alteração em itens de serviços, a administração municipal acrescentou mais de R$ 10,5 milhões ao total contrato, que subiu de R$ 73,1 milhões para R$ 83,7 milhões (confira aqui), sem disponibilizar a planilha dos tais serviços para consulta do cidadão.

O edital da Concorrência Pública 001/2016 foi analisado várias vezes pelo Tribunal de Contas e levou quase um ano para ser liberado, porque a Prefeitura demorou em fazer as correções determinadas pelo TCE. O documento chegou à Corte de Contas com o valor global estimado em R$ R$ 85.478.311,32, caiu para R$ 84.446.744,48, depois para R$ 83.990.505,36 e R$ 81.744.452,28 e foi liberado quando a redução chegou a pouco mais de R$ 73 milhões.