Queda de receita obriga Porto Real replanejar futuro

A capacidade de investimento teve uma queda de 32%

Dependente do sucesso do mercado de automóveis, maior fonte de receita e gerador de empregos do município, Porto Real vai ter de incrementar a arrecadação própria para não ficar tão atrelado às montadoras de automóveis. Esse é o pensamento do secretário de Administração e Fazenda, Jorge Irineu da Costa, que fez um balanço da situação, comparando os números atuais com os verificados em 2005. Segundo ele, a capacidade de investimento da Prefeitura caiu 32% nos últimos oito anos, por conta do aumento do aumento do custeio da máquina administrativa.

De acordo com o secretário, os gastos com pessoal subiram 424% desde 2005 e o custeio da máquina pública aumentou em 514%, enquanto a arrecadação aumentou cresceu apenas 340%, o que provocou a redução da capacidade de investimentos. “Fizemos um estudo completo da situação para podermos planejar o futuro. O primeiro ano de nossa gestão foi parra arrumar a casa e fazer o planejamento. Este ano já estamos conseguindo fazer obras. São R$ 20 milhões em investimentos, recursos próprios do município”, disse o secretário.

Esses investimentos em obras, informa Jorge Irineu, acontecem em projetos de obras de infraestrutura e melhorias nos equipamentos urbanos já existentes, o que irá beneficiar todo o universo populacional da cidade. Ele confirmou a implantação do tão esperado Plano de Cargos e Carreira (PCC) para os funcionários e a criação de um órgão previdenciário próprio, o Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Porto Real.

Comentários:

Deixe uma resposta para Observador Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.