Discurso de evangélico do prefeito de Caxias destoa com as acusações apresentadas à Justiça contra ele pelo Ministério Público

Ele diz que é evangélico, fala em Deus o tempo todo, mas é acusado de coisas condenáveis também aos olhos dos "ímpios", classificação abusiva dada por alguns pastores aos que não frenquentam os seus cultos. O ele em questão tem nome, sobrenome e sérias acusações nas costas. A última, conforme o elizeupires.com já revelou, foi feita pelo Ministério Público na semana passada: Washington Reis (foto), prefeito de Duque de Caxias – que na Wikipédia é apresentado como "cristão evangélico, sendo membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus" – foi denunciado pelo MP por corrupção, acusado de fazer pagamento em dinheiro vivo para obter escrituras imobiliárias de forma fraudulenta no Cartório do 5º Ofício de Notas de Nova Iguaçu.

Na denúncia, que envolve ainda Elói de Oliveira e o tabelião Josemar Francisco, o MP diz que eles, “cientes da impossibilidade de elaboração de escrituras válidas” de compra e venda dos lotes do interesse deles quais, prometeram R$ 500 mil "para a elaboração de diversas escrituras imobiliárias fraudulentas". Ainda na denúncia, o MP destaca: "É importante narrar que os denunciados não eram legítimos proprietários ou possuidores dos lotes levados ao 5º ofício de notas" e que os imóveis "pertenciam a pessoas humildes que foram enganadas pelos denunciados, ou simplesmente tiveram suas terras tomadas pela ação de grileiros, contando com o suporte político e intimidatório do denunciado Washington Reis".

Macaé trava batalha contra acúmulo de resíduos na guerra contra doenças como dengue, febre chikungunya e zika vírus

Em Macaé cuidados dobrados para evitar manchas no visual da cidade e os vetores de doenças - Foto: Rui Porto Filho Registros do Ministério da Saúde apontam que o número de casos dengue no ano passado foi 488% maior que o verificado em 2018, uma realidade que acende o sinal de alerta nos municípios. Em Macaé, no Norte Fluminense, tanto quanto o combate aos focos do mosquito aedes aegypt, a batalha contra o acumulo de resíduos sólidos em vias e terrenos baldios, faz parte do esforço de prevenção a males como dengue, febre chikungunya e zika vírus, fantasmas que reaparecem a cada verão, trabalho dobrado pelo reaquecimento da economia local, que resulta no aumento das construções e, consequentemente, a disposição de entulhos e inservíveis por parte da população.

Nessa batalha estão unidas as secretarias de Infraestrutura e Saúde. A primeira, responsável pelo serviço de limpeza, vem assegurando a coleta de diária de lixo em todo o município, um serviço apontado como referência na região, já que boa parte dos municípios costuma fazer a coleta em dias alternados. A segunda promove medidas para a contenção das doenças e controle do seu vetor, além de ações de autoridade sanitária, visando impedir hábitos e práticas que exponham a população ao risco de contrair esses males.

Decisão judicial que tira a Cedae de Valença obriga a Prefeitura prestar o serviço, o que poderá ser feito via terceirização ou por uma autarquia

Em 2018 a Cedae entregou a estação de tratamento de Conservatória, mas a insatisfação com os serviços prestados pela estatal é grande em todo o município A sentença proferida inicialmente no dia 11 de dezembro de 2014 pelo juiz Daniel Konder de Almeida, declarando inválido o contrato firmado em fevereiro de 2009 pelo então prefeito de Valença, Vicente Guedes, com a Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae), está confirmada, faltando apenas a publicação do trânsito em julgado. A decisão judicial não só realiza o sonho da população de se livrar da estatal, como obriga a Prefeitura prestar os serviços, o que poderá ser feito com a criação de um departamento específico, um DAE, implantação de um serviço autônomo ou terceirização.

Quem entende do assunto afirma que nas duas primeiras hipóteses não é necessário a abertura de uma concorrência pública, por se tratarem de órgãos do próprio município, mas a exigência é cabível na terceira. Porém, em termos jurídicos, nada impediria o prefeito Luiz Fernando Graça – pelo curto espaço de tempo e por tratar-se de serviços essenciais – de optar por um contrato emergencial até que se realize o processo licitatório.

Novas placas de veículos serão obrigatórias a partir de 31 de janeiro

Padrão Mercosul será necessário para novos emplacamentos

Após sucessivos adiamentos, começa a valer a partir do dia 31 de janeiro a obrigatoriedade de uso da placa do Mercosul em todos os estados do país. O prazo atende ao estipulado na Resolução nº 780/2019 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), de julho do ano passado, que determina que as unidades federativas do país devem utilizar o novo padrão de placas de Identificação Veicular (PIV).

Previdência de Queimados divulga calendário de pagamento 2020

O cronograma já conta com datas previstas para depósito das duas parcelas do 13º salário

Para o presidente do PreviQueimados, Marcelo Fernandes, o calendário facilita a vida dos beneficiários - Foto: Thiago Loureiro Os servidores aposentados e os pensionistas de Queimados já podem planejar suas contas até o fim do ano. O instituto de previdência do município divulgou o calendário de pagamento dos benefícios de 2020. Para janeiro, a previsão é de que já haja dinheiro na conta dia 30, antes mesmo da virada do mês. O cronograma do PreviQueimados ainda conta com as datas previstas para o pagamento das duas parcelas do décimo terceiro salário: a primeira parte - que abrange 60% dos proventos - está marcada para o dia 12 de junho; já o depósito da segunda parcela deve acontecer em 15 de dezembro.

Mais de 200 mil eleitores de Caxias e Magé ainda não fizeram biometria: prazo dado pela Justiça Eleitoral termina em fevereiro

Os eleitores de Duque de Caxias e Magé, na Baixada Fluminense, que ainda não possuem as digitais cadastradas na Justiça Eleitoral têm até o dia 14 de fevereiro para fazer a biometria. Esse é o prazo do cadastramento biométrico obrigatório nos dois municípios. Em Duque de Caxias, 172 mil eleitores (26,44% do eleitorado) ainda não estão biometrizados. Já em Magé,  esse número é de 36,1 mil eleitores (19,03%). Quem não comparecer até o final do prazo tem o título cancelado, ficando impedido de votar nas próximas eleições, entre outras sanções.

Como forma de estimular o comparecimento dos eleitores, o Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) implantou recentemente o agendamento com abrangência estadual, que permite ao eleitor agendar o comparecimento em qualquer posto de atendimento do estado. Se mesmo assim encontrarem dificuldades para agendar o atendimento, pelo site do TRE-RJ ou Central de Atendimento Telefônico (21 3436-9000), os eleitores de Duque de Caxias e Magé podem comparecer diretamente aos postos de atendimento. Isso porque a orientação da Corregedoria Regional Eleitoral é que, sempre que haja disponibilidade, seja feito o "encaixe" de eleitores sem agendamento, em qualquer posto de atendimento no estado.

Depois de 200 anos, jabutis voltam ao Parque Nacional da Tijuca no Rio

É a terceira espécie reintroduzida no local desde 2010 pelo Refauna

Segundo pesquisadores, o jabuti-tinga tem importante papel na dispersão de sementes – Foto:Tomaz Silva/Agência Brasil O Parque Nacional da Tijuca recebeu jabutis-tinga, animais que não eram vistos no local há mais de 200 anos. Importantes para a distribuição de sementes, especialmente as grandes, os jabutis-tinga são a terceira espécie a ser reintroduzida no Parque desde 2010 pelo projeto Refauna e serão monitorados por pesquisadores. Em 2010, foram reintroduzidas as cutias e, em 2015, os bugios, que são macacos de médio porte. O Refauna é uma iniciativa da UFRRJ e do Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ), desenvolvida em conjunto com outras instituições de ensino.

Prefeito que quer dominar a Baixada é denunciado por fraude com escrituras imobiliárias em cartório de Nova Iguaçu

O ano eleitoral começou péssimo para o prefeito de Duque de Caxias, que, além de lançar uma irmã na disputa pela Prefeitura de Magé, estaria se intrometendo em São João de Meriti, Japeri e Queimados, onde pretenderia indicar pessoas do seu grupo, para tentar derrubar os atuais governantes. Washington Reis (foto), que já tem uma condenação penal em última instância e responde outros processos cíveis e criminais, foi denunciado agora por corrupção, acusado de fazer pagamento em dinheiro vivo para obter escrituras imobiliárias de forma fraudulenta no Cartório d 5º Ofício de Notas de Nova Iguaçu, situação levantada através de inquérito concluído pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro.

A denúncia (confira aqui) à Justiça foi feita através da 11ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal da 3ª Central de Inquéritos e inclui Elói de Oliveira Pinto, além do tabelião Josemar Francisco, que teria aceitado uma proposta de R$ 500 mil para fazer a documentação, e recebido, no dia 30 de junho de 2014, uma entrada de R$ 150 mil para iniciar o serviço de "elaboração de escrituras imobiliárias fraudulentas com o objetivo de obter a transferência e registro imobiliários de lotes rurais pertencentes a outras pessoas".

Mínimo nacional dos professores do ensino básico tem reajuste de 12,84%, mas boa parte das prefeituras não cumpre a lei do piso

Em Cachoeiras de Macacu, no estado do Rio de Janeiro, os professores estão em constante movimentação na luta por seus direitos O presidente Jair Bolsonaro anunciou esta semana o reajuste de 12,84% no piso salarial dos profissionais da rede público de ensino, um salário mínimo de R$ 2.886,24.  Só que grande parte dos municípios brasileiros, apesar dos repasses do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), não paga nem a metade disto, uma realidade bem diferente, apesar de desde 2009 estar estabelecido que o piso do tem de ser atualizado anualmente, sempre no mês de janeiro.

Em 2017 o Ministério da Educação divulgou resultado de um levantamento feito entre setembro e novembro de 2016, mostrando que apenas 45% do total de 5.570 municípios brasileiros pagavam o piso nacional, realidade que não mudou muito no ano passado, saltando para apenas 52%. As cidades do estado o Rio de Janeiro declararam que cumprem a lei do piso, mas a realidade é que nem todos os 92 municípios o fazem, e boa parte deles só pagam o mínimo nacional por conta de ações judiciais propostas pelo Ministério Público.

Com tarifas caras e serviço ruim, Cedae vai perder contrato em Valença, mas modelo de gestão ainda não foi definido

A Cedae, pelo volume de reclamações, não vai deixar saudade em Valença Com uma decisão perto do trânsito em julgado, na qual a Justiça determina o fim contrato da Companhia Estadual de Água e Esgoto firmado com a Prefeitura de Valença sem aprovação da Câmara de Vereadores, a Cedae está com os dias contados no município e deverá sair sem deixar saudade.

Revoltada com a tarifa praticada pela empresa –  que cobra caro, mas presta um serviço apontado como péssimo, a população não vê a hora da substituição da empresa que deveria fornecer água tratada e em quantidade suficiente para atender as necessidades das residências e empresas, além de tratar o esgoto da cidade – a população não vê a hora de se livrar da estatal, mas ainda não se sabe como a substituição será feita, se por licitação, contrato emergencial ou através de uma autarquia ou empresa de capital misto.