Arco Metropolitano será inaugurado sem o trecho de Magé

Licitada a parte, duplicação da BR-493, segundo o DNIT, só vai começar em agosto

Uma das maiores obras viárias do país nos últimos 30 anos, o Arco Metropolitano, projetado para ligar Itaboraí a Itaguaí, no estado do Rio de Janeiro, vai ser inaugurado sem a duplicação da Estrada Magé-Manilha, a BR-493, que liga Itambi (distrito de Itaboraí) à BR-116, na localidade de Santa Guilhermina, em Magé. Esse trecho foi licitado a parte do arco e as obras deveriam ter sido iniciadas em março deste ano. A extensão do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) até Itambi já está pronta, bem como os 71,2 quilômetros que ligam Duque de Caxias a Itaguaí, de responsabilidade do governo estadual. Quanto à perigosa BR-493, a cargo do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT, órgão ligado ao Ministério dos Transportes, essa só deverá estar pronta em dezembro de 2016.

A licitação para contratar duplicação da Magé-Manilha foi feita no dia 29 de outubro do ano passado pelo DNIT e a concorrência foi vencida pelo Consórcio Encalso, formado pelas empreiteiras Sobrenco, Concresolo e Ctesa. As obras tiveram o inicio anunciado para o primeiro trimestre deste ano e a proposta vencedora atingiu o total de R$ 405 milhões, compreendendo um trecho de 25,5 quilômetros. O contrato, entretanto, sequer foi assinado, o que deverá acontecer somente em julho, para, segundo informação do DNIT, as obras poderem ser iniciadas em agosto, um mês após a inauguração do Arco Metropolitano.

A duplicação da BR-493 está com um atraso de mais de cinco anos, já tendo sido protelada uma vez, por conta de um acordo entre os governos federal e estadual para que fosse executada dentro das obras do Arco Metropolitano, mas o acordo não foi cumprido pelas construtoras encarregadas da construção do arco, pois o custo da duplicação não estava incluso. A nova licitação foi feita pelo Regime Diferenciado de Contratação (RDC), com o vencedor se encarregando do projeto e execução das obras, o que agilizaria os trabalhos, o que de fato não aconteceu.

 

Matérias relacionadas:

Duplicação da BR-493 será licitada nessa terça

BR-493: licitação será homologada na próxima semana 

Comentários:

  1. Bom dia,
    está obra da duplicação da BR 493 que liga Magé a Manilha é importantíssima para o desenvolvimento do nosso município mais parece que tem outros interesses por traz desta obra não sai do papel sempre tem alguma historia a ser contada se a obra esta a cargo do governo Estadual o nosso prefeito que é do mesmo
    partido do atual governado deveria ser mais contundente com relação a este projeto que esta a muito sendo falado mais execução nenhuma por tanto, nestas horas e que o povo tem que se manifestar cobrando dos nosso governantes o descaso que eles fazem com a população , quantas vidas já foram perdidas nesta estrada da morte quantos terão que morrer isso e que me indigna por este e outros motivos o povo esta de saco cheio destes políticos mentirosos que só querem benefícios financeiros
    para eles ( obs. todos nos merecemos casar em um castelo) ter uma educação digna sem desvio de verbas
    sem acordos com empresas fornecimento de merendas sem acordos com graficas.

    1. É preciso primeiro saber de uma coisa antes de falar. Essa estrada é federal, de responsabilidade do DNIT que, como a matéria deixa claro, foi quem licitou. Vamos pensar duas vezes antes de dizer besteira.

      1. Vejo que os mageenses descobriram que podem falar. Deve ser isso. Antes borravam de medo e ficavam quietinhos. Era como se estivesse tudo bem. Por que não protestavam antes? Sobre a obra ela é mais que necessária mas no tempo daquela família os MAGE PARA FRENTE da vida não davam um pio.

    2. Cara, vá se informar primeiro. Vocês de Magé levam tudo para o mesmo lado. Essa obra é de responsabilidade do governo federal. O trecho do estado já vai ser inaugurado. Esse arco é a redenção da nossa região.

    3. Percebo que sua intenção era colocar o prefeito no meio dessa história. Só que ele não tem nada a ver com isso. O trecho do estado já está prontinho, camarada. Vá se informar primeiro.

    4. Leia de novo – “A extensão do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) até Itambi já está pronta, bem como os 71,2 quilômetros que ligam Duque de Caxias a Itaguaí, de responsabilidade do governo estadual. Quanto à perigosa BR-493, a cargo do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT, órgão ligado ao Ministério dos Transportes, essa só deverá estar pronta em dezembro de 2016.”.

  2. Diante de tão pequeno trecho, em obra de tão grande vulto, ficamos em dúvida sobre quem jogar a culpa do atraso.Se tambem as obras do Comperj estão igualmente atrasadas, perderam oportunidadse de capitalizar dividendos eleitorais no evento.

  3. Li aqui no site duas matérias no ano passado falando sobre essa obra. A primeira foi feita um dia antes da licitação e a segunda anunciava que a licitação seria homologada, o que de fato foi. Agora fala apenas o DENI liberar o contrato para ser assinado.

  4. A Magé-Manilha é muito importante, pois nela circula produtos para toda a região. É tão importante quanto perigosa e precisa mesmo ser duplicada.

  5. Essa BR-493, Elizeu, é a estrada da morte. O Globo trouxe uma matéria sobre esse projeto falando do atraso e da nova data prevista para o início da obra.

  6. Boa tarde,
    eu posso ter me equivocado com relação a quem vai ser responsável por este trecho da obra
    só que num todo todos nos mageenses sabemos que esta obra não sai do papel e não me interessa
    se a obra e federal, municipal ou estadual nos temos que cobrar de quem tem mais condições de cobra
    dos outros poderes e o que vejo mais próximo e o governo municipal e no um todo eu não falei bobeira
    apenas a realidade, doa a quem doer.

    1. Devemos cobrar de quem deve. Se João lhe deve uma coisa você não pode cobrar a José e para falar a verdade devemos sair do anonimato. Quanto a obra não sair do papel é pensamento próprio de mageense.

      1. Gustavo Saraiva, você é mais um dos que teimam em estereotipar o mageense. Sendo você um niteroiense, lhe peço que que se abstenha de tratar de assuntos relativos a Magé e que tenha pelo menos, educação em uma próxima oportunidade.

        Estamos tratando de assunto muito grave e que pode gerar mortes meu camarada e só para o seu governo, João e José nos devem e muito neste neste caso. Governos federal e estadual estão dando uma banana para Magé ao deixarem o Arco Metropolitano entrar em funcionamento sem que a BR-493 esteja duplicada.

        E quanto ao anonimato, só eu conheço uns dez Gustavos, ou seja, você é tão anônimo quanto eu.

        Fique com Deus.

      2. O governo federal deve porque não começa a obra e o governo estadual também deve porque vai deixar o arco funcionar com a Magé Manilha do jeito que tá. Então o João e o José nos devem sim. Nestor tem de cobrar esse absurdo aos dois.

  7. O problema é o seguinte, assim como mandaram os bandidos do Rio para outras cidades com as UPPs e assim como gastaram e estão gastando mundos e fundos com a Copa do Mundo e com as Olimpíadas, estão mandando todo tráfego pesado da Dutra e da Avenida Brasil para a Magé-Manilha sem que ela esteja duplicada.

    Em matéria de 20/04/2014 do Jornal O Globo (http://oglobo.globo.com/rio/corrida-contra-tempo-para-concluir-arco-metropolitano-12246894), a jornalista Fernanda Pontes é bem clara quando diz que a intenção da obra, é que sejam retirados do trânsito da Avenida Brasil e da Via Dutra mais de dez mil carretas e outros 22 mil veículos leves por dia, desafogando o principal eixo viário da capital.

    Amigos, prestem atenção, são 10 mil carretas e 22 mil carros a mais por dia que irão trafegar pela Magé-Manilha.

    Não me interessa o fato de a BR-493 ser federal ou não, o que me interessa é que esta estrada vai se tornar um verdadeiro matadouro de gente.

    Obrigado pelo alerta Elizeu.

    1. Apenas para esclarecer, este volume de tráfego citado na reportagem do O Globo, trata-se de uma estimativa e não significa que irá ser totalmente transferido para a BR 493 (Magé-Manilha). Inicialmente o tráfego não sofrerá grande impacto na citada BR 493, principalmente porque o tráfego de caminhões já é proibido na ponte Rio-Niterói… Basicamente o arco faz uma interligação da Av. Brasil, Via Dutra e Washington Luiz, desafogando o trânsito na primeira, segundo a reportagem! O problema pode ocorrer em futuro próximo, no caso de inauguração do Comperj e demais investimentos no norte do estado, principalmente o Porto do Açu, todavia, ambos sofrem de atraso, assim como a duplicação da Magé-Manilha.

    1. Boa noite. Temos feito a nossa parte. Agora a bola está com o DNIT que tem de assinar logo esse contrato com o consórcio vencedor da licitação para que a obra realmente comece em agosto. A informação de que isso aconteceria nos foi confirmada hoje pela assessoria de imprensa do órgão. Abraços a todos e fiquem com Deus.

  8. Essa matéria livra o governo estadual quando diz: “Quanto à perigosa BR-493, a cargo do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT, órgão ligado ao Ministério dos Transportes, essa só deverá estar pronta em dezembro de 2016”.

    1. Jornalismo é coisa séria e não passatempo de curiosos. Trabalhamos com informação e não com disse-me-disse, com o ouvi dizer ou o andam falando por aí. As informações contidas nessa matéria refletem a verdade do momento sobre esse assunto, goste você ou não. Não posso distorcer o fato só para agradar a esse ou aquele leitor. Nossa credibilidade vem exatamente da nossa postura. Abraço e fique com Deus.

    2. Me perdoe Contestador, mas não livra não. Embora a BR-493 seja uma estrada federal, ela está dentro do estado do Rio e por isso, o governo do estado não pode em hipótese alguma deixar que o Arco Metropolitano comece a funcionar e deve cobrar do governo federal o início imediato da obra.

      A QUESTÃO AQUI NÃO É A QUEM PERTENCE A ESTRADA E SIM, QUE VAI MORRER MUITA GENTE SE COMEÇAR A TRAFEGAR POR ESTA ESTRADA, 10 mil CARRETAS e 22 mil CARROS A MAIS POR DIA.

  9. Moro em Itambi e conheço muito bem cada quilômetro dessa estrada da morte. Se ela não for duplicada será um Deus nos acuda. Que venha a obra, caro Elizeu Pires.

  10. Moro em Manilha trabalho em Magé nesses últimos 4 meses, vem acontecendo algumas coisas ao longo da Estrada BR 493, terrenos sendo capinados, limites dos lotes sendo demarcados, metragem da rodovia sendo feito, isso levou 2 dias, tenho visto caminhões da Ctesa Construções pela estrada, agora tem um canteiro de obras sendo feito mais para o final a estrada sentido BR 116, existe várias placas sinalizando para saída de caminhões. No portal da transparência saiu três Notas de Empenho relativo a BR 493 com relação Consultoria Ambiental, então não está totalmente parado, só aos poucos.

    1. Bom dia Ayrton, o problema todo é que pelo andar da carruagem, vão inaugurar os trechos já prontos do arco e desviar todo o tráfego de veículos pesados da Dutra e da Brasil para a BR-493 sem que ela esteja duplicada. Segundo previsões, serão mais de dez mil carretas e outros 22 mil veículos leves por dia.

      A pergunta que fica é a seguinte: Porque os outros trechos estão sendo inaugurados agora em julho e SOMENTE o trecho da Magé-Manilha não?

    2. Ayrton, está totalmente parado sim.

      Estamos cansados de ver canteiros de obra sendo feitos e desfeitos, topógrafos indo e voltando, audiências públicas que mais parecem um circo, relatórios ambientais aos montes e obra que é bom nada.

      Nós que moramos nas proximidades da BR-493 é que estamos vendo o Arco Metropolitano nos sendo empurrado goela a dentro aos poucos.

  11. A obra não está parada, a duplicação está sendo feita, é evidente que isso leva tempo, basta passar na estrada para ver.
    Ps.: Não entendo porque leitores, comentarista colaboradores deste veículo, tem que ficar se degradiando com palavras que a nada levam, a não ser ao repúdio de um ou de outros.

Deixe uma resposta para Moderador Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.