Ex-deputado estadual é condenado a cinco anos por fraude

Claudeci das Ambulâncias sonegava impostos e recebia da Alerj em nome de “fantasma”

O ex-deputado estadual Claudiocis Francisco da Silva, mais conhecido como Claudeci das Ambulâncias, foi condenado pela Justiça Federal a cinco anos e quatro meses de reclusão por crime contra a ordem tributária. Hoje aposentado pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), ele vai cumprir a pena no regime semi-aberto. Claudeci, que tentou eleger-se vereador em Campos no pleito de 2012 e não conseguiu, começou a ser investigado pelo Ministério Público Federal (MPF) em 2006, acusado de sonegação de imposto de renda, por ter omitido receitas nas declarações referentes aos anos-calendários 2001, 2002 e 2003. Segundo o MPF, durante a investigação foi comprovado que o político nomeou a vendedora de doces Maria de Fátima Soares da Silva como assessora parlamentar e passou a receber ele mesmo os valores depositados pela Alerj na conta-corrente dela. Maria de Fátima contou à Justiça que nunca trabalhou na Alerj, nunca recebeu nenhum valor e que assinou vários cheques para o então deputado.

A sentença da 2ª Vara Federal de Campos pontua que Claudeci, “na condição de agente político, aproveitava-se da fragilidade e desconhecimento de pessoas de baixa instrução e necessitadas que o procuravam, a fim de obter ajuda para suprir suas necessidades básicas, nomeando-as para o exercício de função pública, que jamais chegavam a exercer de fato, e se apropriando indevidamente dos valores dos pagamentos que lhes eram destinados, enriquecendo ilicitamente e omitindo do fisco esse acréscimo patrimonial.”

Para o procurador da República Eduardo Santos de Oliveira, essa foi mais uma vitória contra criminosos do colarinho branco. “É mais um capítulo na luta contra a corrupção no serviço público. Esperamos que o Tribunal confirme a sentença e que o réu pague na cadeia pelos seus crimes”, completou Eduardo, que comandou a investigação e foi o responsável pelo processo.

Comentários:

Deixe um comentário para Antonio Paranhos Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.