Câmara de Silva Jardim paga caro por máquina de “xérox”

Na pacata Silva Jardim, um dos municípios mais pobres do estado do Rio de Janeiro, trabalhar com a locação de máquinas copiadoras, a julgar pelo preço pago pela administração do Poder Legislativo local, pode ser um excelente negócio. É que  o presidente da Câmara Municipal, o vereador Roni Luiz Pereira da Silva (PRB), alugou uma máquina copiadora pagando pela locação quase nove vezes o preço de custo do equipamento para venda, que pode ser encontrado no mercado ao preço de cerca de R$ 20 mil.

O aluguel da máquina já foi denunciado ao Ministério Público, que poderá abrir procedimento para investigar o contrato, além de apurar outros gastos do Poder Legislativo, inclusive com a locação de carros e compra de combustível. No dia 8 de outubro do ano passado a Câmara de Vereadores firmou contrato de um ano com a empresa Vicma Comércio de Equipamentos para Escritório, assumindo o compromisso de pagar o total de R$ 181.200,00 em um ano, R$ 15,1 mil por mês, pela locação de uma copiadora multifuncional com condições de imprimir 30 mil no período.

Se optasse pela compra da copiadora o presidente da Câmara estaria fazendo um bom negócio para a Casa, mas melhor ainda se ele escolhesse fazer as 30 mil cópias no comércio varejista, onde o preço mais caro cobrado por uma “xérox” é de R$ 0,15, podendo chegar a R$ 0,7 se o cliente tirar grande quantidade de cópias. Analisando pelos R$ 15,1 mil pagos mensalmente pelo aluguel de um equipamento locado para fornecer 30 mil cópias por mês, a Câmara de Vereadores está pagando mais de R$ 0,50 por cada “xérox”.

Comentários:

Deixe uma resposta para Anônimo Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.