Investigação de crimes da ditadura dá prêmio internacional ao MPF

A subprocuradora-geral da República Raquel Elias Ferreira Dodge, e os membros que compõem o Grupo de Trabalho de Justiça de Transição do Rio de Janeiro, Antonio do Passo Cabral (coordenador), Sérgio Gardengui Suiama, Ana Cláudia de Sales Alencar, Tatiana Polio Flores, Eduardo El-Hage, Eduardo Santos de Oliveira e Vanessa Seguezzi, vão receber, entre os dias 23 e 27 de novembro, em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos – “por uma atuação exemplar na proteção dos direitos humanos” – o Prêmio por Realização Especial (Special Achievement Award) durante a 19ª Conferência Anual da International Association of Prosecutors (IAP).

Segundo o vice-presidente da IAP na América do Sul, Manuel Pinheiro, o prêmio é um reconhecimento dos esforços para viabilizar a investigação e a persecução judicial dos assassinatos, dos sequestros, das torturas e de outras graves violações de direitos humanos praticados por agentes públicos durante o período da ditadura militar.

A instituição também entregará o prêmio de Procurador do Ano (Prosecutor of the Year) a Daniel César Azeredo Avelino, membro do Ministério Público Federal que obteve resultados excelentes na proteção do meio ambiente e dos direitos de comunidades hipossuficientes da Amazônia com a campanha Carne Legal, quando, através de termos de ajustamento de conduta e ações civis públicas, levou mais de cem grandes empresas a parar de adquirir carnes, peles, cosméticos e gêneros alimentícios produzidos por fazendeiros que exploravam o trabalho escravo, faziam uso da violência para grilar terras, invadiam territórios ocupados por indígenas e desmatavam a floresta para explorar a agricultura e a pecuária.

Comentários:

Deixe uma resposta para Dutra Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.