E eles não estão nem ai…

 

A coisa está feia em São João de Meriti, mas os “representantes” do povo querem mais é festa

A Câmara de Vereadores de São João de Meriti, como todas as outras, não tem receita própria e vive dos repasses mensais, o duodécimo, feito mensalmente pela Prefeitura, que está mergulhada numa crise sem precedentes na história da cidade, por obra e graça de uma administração que inflou a máquina com contratos temporários em excesso e teria feito nomeações em cargos além dos existentes no organograma do município, gastou mais do que devia, enfiando o pé numa jaca que, passados cinco anos e nomes de gestão do prefeito Sandro Matos, descobriu-se podre. Os vereadores, entretanto, não estão nem aí e, indiferentes aos problemas dos servidores da Prefeitura – que dificilmente receberão décimo terceiro e o salário de dezembro este ano – estão gastando o dinheiro do povo da forma que melhor lhes convém. Prova disso é que 20 deles desembarcam hoje depois um feliz final de semana no nordeste, onde, só com passagens e estadias gastaram cerca de R$ 110 mil.

O motivo da viagem, para qual embarcaram ainda dois suplentes e sete acompanhantes, foi um evento promovido por uma entidade representativa de vereadores, que, a exemplo de um tal de Instituto Nacional Municipalista, adora reunir a classe em cidades turísticas para seminários e cursos de capacitação que em nada colaboram para a representatividade. O encontro do final de semana aconteceu na Praia de Cabo Franco, em João Pessoa, no estado da Paraíba.

Em situação melhor que seus colegas da Prefeitura, os servidores da Câmara recebem em dia e nenhuma gratificação, segundo a diretoria da Casa, havia sido cortada até a última sexta-feira. A informação é de que – embora o prefeito Sandro Matos alegue queda na arrecadação do município – o duodécimo da Câmara não sofreu redução em um centavo sequer, pois, revela um membro do governo, mexer no dinheiro dos vereadores é o mesmo que por a cabeça na guilhotina. “O Poder Legislativo não arrecada, mas tem o repasse constitucional. Isso é sagrado e o prefeito que não entender dessa forma pode até perder o mandato. Aqui em São João de Meriti a relação entre os poderes é harmoniosa, mas a presidência da Câmara é que define como será gasto o repasse que recebe, pois são poderes independentes”, disse ontem a noite ao elizeupires.com um membro do governo.

Comentários:

  1. Todo mes para os funcionarios concursados receberem “e a treva”, salarios pagos com atrasos. Escolas sem material algum e ate a prefeitura sem papel pra imprimir contra cheque de funcionarios. Pra mim alguem do MP esta tampando com panos quentes isso ai pq existem zilhoes de denuncias e e visivel e nada se faz. Como pode ate funcionarios efetivos ficarem meses sem salarios?! Como pode pagarem com atrasos de dias algumas secretarias e outras estarem meses sem pagamento?! Como pode professores que se dedicaram 30 anos ao ensino municipal e que hoje estao aposentados estarem 4(quatro) meses sem seus pagamentos?! Ai vem me dizer que MP nao esta percebendo algo errado ai. Eles nao querem e fazer nada.

Deixe um comentário para Martins Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.