Eleições de 2016 já tiram o sono de Sabino

Desespero pode levar o prefeito de Rio das Ostras a tentar uma composição com o adversário de 2012

Mal das pernas, fazendo uma gestão questionável em todos os aspectos,  tendo acumulado um preocupante volume de denúncias de irregularidades e várias ações judiciais já no primeiro ano dessa sua terceira passagem pelo governo, o prefeito de Rio das Ostras, Alcebíades Sabino dos Santos (PSC) ainda tem dois anos e um mês de mandato pela frente, mas já começou a perder o sono e a tranquilidade para trabalhar, por conta de uma eleição que só vai acontecer no dia 9 de outubro de 2016 e, segundo pessoas bem próximas, ele tem motivos de sobra para se preocupar.

Mal avaliado, Sabino sabe que se a disputa fosse hoje, mesmo montado numa máquina administrativa com quase R$ 1 bilhão em combustível, suas chances de reeleição seriam mínimas. Entretanto, o que mais lhe tem causado intranquilidade são uma condenação, as ações impetradas recentemente, investigações em andamento sobre supostas fraudes em licitações e o crescimento de um novato que ele derrotou fácil em 2012, mas que se aliado a uma corrente mais forte, poderia representar uma derrota acachapante: José Guimarães Salvador, o Zezinho Salvador (PR).

Vencedor de uma eleição na qual praticamente não teve adversário, Sabino ficou com 76,97% dos votos válidos em 2012, quase quatro vezes mais que os 18,72% conferidos ao então estreante Zezinho, que este ano botou o bloco na rua novamente e foi o candidato a deputado federal mais votado na cidade, somando 12.588 votos. Há quem aposte, inclusive, que o prefeito – se tiver condições legais de disputar a reeleição – poderá até tentar uma um golpe de sorte, descartando seu atual vice, Gerson Apicelo (PDT), visando uma composição com Salvador, para dificultar um pouco mais as coisas para o ex-prefeito Carlos Augusto Balthazar (PSL) que, ao que tudo indica, deverá ter seus votos de deputado estadual computados para ocupar a cadeira até agora conferida ao deputado Atila Nunes.

O que mais se ouve nos ambientes políticos da cidade é que Sabino está torcendo para as coisas darem errado para Carlos Augusto, mesmo já tendo sido informado por alguns advogados  de que o ex-prefeito poderá vencer no TSE. O prefeito sabe que um mandato parlamentar agora só fortaleceria  o ex-prefeito com o governo estadual, pois não é segredo para ninguém – e muito menos para os caciques do PMDB que -Sabino trabalhou contra Pezão desde o início e só deu as caras na última semana da campanha, com a visita do vice-governador eleito Francisco Dorneles.

 

Matérias relacionadas:

Carlos Augusto esculacha Sabino nas urnas

Carlos Augusto poderá ficar com a segunda vaga do PSL na Alerj

Comentários:

  1. Parabens Elizeu Pires você tocou no “ponto chave”…. Sabino em 2016 estará em uma situação muito, mas muito complicada mesmo. Mais uma vez parabens pela reportagem.

  2. Muito bem. Sabino é um péssimo gestor. É um péssimo tudo. Seria uma coisa bastante moral para o Estado do Rio de Janeiro não tê-lo como prefeito de um município seu. Porém, o que acontece se o povo de Rio das Ostras votar nele novamente? O que acontece se a população ainda votar nele?

    Eu me lembro de outro prefeito, o Zito, de Duque de Caxias. Mal-falado pra caramba. Foi prefeito durante doze anos em Caxias. DOZE! Então meus caros, não adianta justiça, ministério público e o escambau SE o povo vota. Simplesmente, o povo vota! Zito teve as contas negadas em 2008: e o povo VOTOU. Há um monte de lei para impedir (ou que tentam impedir) o povo de errar na hora de votar: é lei da ficha limpa, é lei e as respectivas condenações de responsabilidade fiscal, é site da justiça eleitoral listando as declarações de bens dos candidatos, é Elizeu Pires mostrando, de forma muito ética e correta, os processos e os esquemas nos quais os prefeitos fazem parte… e no fim o povo vota. O povo vota.

Deixe uma resposta para Ana Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.