Em 2014 1.854 novos mageenses nasceram na rede pública

Os atendimentos em maternidade mais que dobraram em relação a 2011

Os números falam por si e mostram que as coisas estão mudando na rede municipal de Magé. Os atendimentos em maternidade mais que dobraram em relação a 2011, início da atual gestão: o Hospital Municipal Hugo Braga registrou no ano passado 1.850 partos, 1.333 normais e 521 cesarianas. Para o prefeito Nestor Vidal os números mostram avanços, mas a situação ainda está muito distante da meta pretendida. “Temos muito o que fazer ainda”, afirma ele.

Segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde, foram realizados mais de 500 procedimentos cirúrgicos, tendo aumentado também o número de pacientes moradores de cidades vizinhas.

Mais acesso a medicamentos

A Secretaria de Saúde pontua ainda a ampliação dos postos para entrega de remédios. Os pacientes atendidos na Unidade Mista 24 horas da localidade de Suruí, por exemplo, agora contam com maior disponibilidade de medicamentos na farmácia pública que funciona ao lado. Ao todo, diz a diretora administrativa Evelin Rodrigues de Paula, são mais de cem itens. Essa é a segunda unidade a contar com farmácia. A primeira foi a que atende os moradores de Mauá. A meta, afirma o secretário de Saúde, Sidney Cerqueira Couto, é expandir o projeto para todos os distritos.

“Ao todo, a farmácia possui mais de 100 tipos de medicamentos diferentes. Ter esses remédios todos disponíveis gratuitamente é um benefício muito grande para a população. A pessoa é atendida na Unidade Mista 24 horas, sai de lá receitada e já recebe o medicamento. Esse mecanismo agiliza o início dos tratamentos dos pacientes e facilita a vida dos moradores da região. A farmácia recebe mais de 900 receitas médicas por mês. Os remédios mais procurados são os antibióticos e os analgésicos”, explica a diretora.

Comentários:

  1. Sejamos mais realistas: o H.Hugo Braga recebe a demanda de Fragoso, (24 horas), Santo Aleixo e Mauá.Considerados tres anos, temos aí um desempenho razoavel, se verificarmos pequenos investimentos na saúde, falta de incentivo salarial e tambem melhor desempenho dos PSFs.Não esquecer da terceirização de serviços, o que dificulta maior entusiasmo.Mas, há tempo ainda para trabalhar e, acreditamos, verbas tambem.

  2. A verdade é uma só, A saúde de Magé está uma merda!!! O posto 24h de mauá tá pior do que no tempo dos cozzolinos, os medicos novos são todos despreparados… fica ai um recado pro doutor Sidney abre o olho!!!!

  3. Caro Elizeu,

    Até que a saúde de Magé está boa, sabe porque? Andamos por aí e vemos hospitais com corredores cheios, não tem médicos, e em Magé, a realidade é outra, só morre quando tem que ir mesmo. Magé é uma mãe. Queria chamar atenção para um Sr. internado que está internado, já de alta há uma semana, que vem a ser irmão da Sra. Sônia Barreto, àquela que trabalhou e trabalha pra Núbia Cozzolino. Dá pena, ainda bem que no hospital, os profissionais são competentes. A irmã de senhor alega que não tem tempo, e nem condições de cuidar dele em casa. Segundo ouvi, ele diz que “cada dia é uma desculpa, um dia o pagamento não saiu, no outro tem muita gente na casa dele, por isso não dá pra leva-lo. A direção do hospital está fazendo o que pode. Estão vendo se arranjam uma internação num asilo, mas é difícil.

Deixe uma resposta para joacyr Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.