Prefeito de Teresópolis teme investigações mais amplas

O prefeito Arlei Rosa diz ter arrendado o sítio em Sapucaia avaliado em R$ 3,5 milhões

MP quer saber se máquinas usadas em obras em haras de prefeito são de empresas contratadas pela Prefeitura de Teresópolis

O prefeito de Teresópolis, Arlei de Oliveira Rosa (PMDB), recebeu com ironia a notícia de que o presidente da Câmara de Vereadores, Maurício Lopes (PSL), havia convocado uma sessão extraordinária para sábado, afim de por em votação a abertura de um procedimento investigativo e seu afastamento do cargo por três meses. Para Arlei e alguns de seus colaboradores, “Maurício está jogando para a platéia, buscando espaço no noticiário”. De acordo com alguns de seus colaboradores, o que preocupa o prefeito não é o sítio e sim outras denúncias de irregularidades, essas envolvendo processos licitatórios. Quanto à Câmara, o prefeito acredita que pode contornar as coisas, pois tem o apoio da maioria e, segundo afirma, não há nada de errado em relação ao haras, que, segundo alegou junto ao Ministério Público, “foi arrendado”.

“O haras, que na verdade é um sítio arrendado dentro das condições que o prefeito pode pagar, não é motivo de preocupação. O que sinto é que o prefeito teme que o MP avance por outros caminhos, pois o que não falta contra o governo é denúncia de irregularidade. Se a Câmara afastar o prefeito por causa do arrendamento do sítio estará cometendo uma injustiça. Se o Poder Legislativo quer mesmo investigar alguma coisa que levante os contratos firmados pela Prefeitura, mas aí eu não sei se esse levantamento seria interessante para alguns dos meus ex-colegas”, disse na tarde de ontem ao elizeupires.com um ex-vereador da cidade.

Para muitos adversários do prefeito o haras foi comprado e não arrendado e só não teria sido transferido para o nome de Arlei Rosa, que costuma resolver visitantes ilustres na propriedade, onde a descida de helicópteros já não assusta mais os animais. Em dezembro ele recebeu a visita de um grande empresário baseado na Região dos Lagos, que teve contratos de obras para recuperação da Região Serrana. Nesse dia estava na propriedade, segundo revelou uma fonte do elizeupires.com, um importador de animais, que queria vender ao prefeito um casal de girafas e um dromedário. Segundo a fonte, quem também já teria descido de helicóptero no haras é o hoje secretário estadual de Governo, Paulo Melo, que esteve por lá no seu último ano como presidente da Assembleia Legislativa.

O Ministério Público já esteve numa loja de materiais de construção que forneceu para o sítio, buscando saber quem comprou e quem pagou pelo material entregue. A promotoria quer saber agora a quem pertencem as máquinas que foram encontradas trabalhando na propriedade. O objetivo é saber se elas são de alguma empresa prestadora de serviços ao município.

Comentários:

  1. Será que vamos presenciar mais um caso de pizza na política brasileira. A cidade de Teresópolis está abandonada: obras superfaturadas iniciadas e não acabadas dentro do prazo estipulado; saúde pública , como o centro de hemodiálise que não funciona, precária; educação com escolas sem nenhum investimento estrutural e pessoal; transporte público de péssima qualidade; trânsito desordenado por falta de administração na organização viária.

Deixe uma resposta para sedafim Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.