Lixo é problema grave em Araruama

Fechamento de “lixão” deixa a cidade suja

Alvo do Ministério Público desde 2008 o vazadouro de lixo da cidade foi interditado na semana passada por decisão judicial, que deu a Prefeitura um prazo de seis meses para implantar um aterro sanitário semelhante aos que já funcionam em Magé, Nova Iguaçu e Seropédica. Se comemorada pelos ambientalistas, a decisão atinge mais diretamente à população, pois o serviço de coleta está prejudicado em vários bairros. No bairro Mutirão, por exemplo, a coleta era feita vezes por semana, mas, o caminhão, reclama os moradores, agora só passa uma vez. Agora sem um local próprio, o jeito encontrado pelo prefeito Miguel Jiovane é jogar o lixo no quintal do vizinho: os detritos serão descartados no aterro sanitário de São Pedro da Aldeia ao cisto de R$ 60 por tonelada, mais o transporte.

A primeira decisão para fechar o “lixão” foi tomada em 2008, na gestão do prefeito Francisco Ribeiro, o Chiquinho da Educação, que foi sucedido por André Monica, que conseguiu três anos de prazo para cumpri-la. Monica não fez o dever de casa e o problema foi transferido para a nova gestão, que agora tem apenas 180 dias para implantar um novo sistema. Por não ter cumprido o prazo de três anos a Prefeitura já acumula mais de R$ 1,6 milhão de multa. A pena pecuniária foi estipulada em R$ 10 mil por cada dia de descumprimento do prazo e agora o Ministério Público quer transferi-la para a pessoa do prefeito, cobrando dele R$ 500 por dia, um acumulado de R$ 80 mil até agora.

De acordo com a decisão do juiz Carlos Eduardo Iglesias Diniz, da 2ª Vara Cível, de agora em diante a Prefeitura só terá acesso ao “lixão” apenas fazer a remediação dos anos ambientais causados na área. 

Comentários:

  1. Bom dia, Elizeu. Acompanho esse problema há mais de cinco anos. A Prefeitura teve prazo mais que suficiente para resolver e nada fez. Entendo que a atual gestão não tem culpa nisso, mas é necessário tomar providências no sentido de cumprir o novo prazo.

  2. Esse lixão é uma vergonha, mas o Ministério Público precisa cobrar multa também dos dois antecessores do atual prefeito. O Miguel chegou agora e já vai pagar a conta?

  3. A questão do lixo é muito complexa. Todos nós produzimos detritos, mas questionamos sempre o destino final. Acho que todos tem de fazer a sua parte.

Deixe uma resposta para Paulo Renato Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.